Nos lança Woo. Uma operadora digital para quem só precisa de internet

  • ECO
  • 17 Julho 2020

A Woo é uma aplicação para o telemóvel onde o cliente pode aderir, alterar ou cancelar a internet de que precisa a cada momento. Preços começam nos 23 euros por mês.

A Nos lançou a primeira operadora 100% digital. Uma aplicação para o telemóvel, destinada a quem só precisa de ter internet. Chama-se Woo e permite que, a qualquer momento, e através do telemóvel, o utilizador adira, altere ou cancele o pacote de internet. O primeiro mês é grátis e, a partir daí, os preços começam nos 23 euros e vão até aos 55 euros mensais.

É como se fosse uma operadora comum, mas 100% digital e feita para quem apenas precisa de internet. Na aplicação o utilizador pode aderir em apenas três minutos, alterar ou desativar a subscrição, consultar saldos, configurar o router (no caso da internet fixa) e a velocidade da internet, gerir os dados pessoais e pedir ajuda no chat (disponível durante 24 horas).

Depois de descarregada, a Woo dá aos utilizadores três possibilidades de subscrições de internet: móvel (23 euros), fixa (27 euros) e móvel+fixa (55 euros). Na primeira estão incluídos 10GB de internet e 1.000 créditos para minutos/mensagens e na componente fixa o cliente pode escolher a velocidade entre 100MBps e 1GBps, refere a operadora, em comunicado.

No caso de o utilizador esgotar o plafond de dados, a internet nunca se desliga, ficando sempre assegurada uma velocidade de 64kbps, o que permite, entre outras operações, usar sempre o Whatsapp. Outras das funcionalidades é que a Woo pode ser subscrita (apenas para internet móvel), mesmo que o utilizador tenha um contrato com outra operadora.

Para adesões até 31 de agosto, a Woo oferece um mês de serviço móvel para que todos possam experimentar. A partir desse mês de teste, os pagamentos começam a ser feitos, e podem acontecer por cartão de crédito ou PayPal. A Woo pode ser usada em território nacional e em mais de 120 países com os quais Portugal tem acordos de roaming.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Nos lança Woo. Uma operadora digital para quem só precisa de internet

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião