Acionistas da EDP sabem que as acusações contra Mexia “não têm fundamento”, diz Catroga

  • ECO
  • 31 Julho 2020

Representante da CTG no Conselho Geral e de Supervisão espera que o poder judicial derrote as acusações contra a EDP. Sobre Novo Banco, alerta para a "espuma mediática para iludir as pessoas".

Eduardo Catroga, que representa a China Three Gorges, no Conselho Geral e de Supervisão (CGS) da EDP, tem esperança que o poder judicial” venha a derrotar os processos contra a elétrica, nomeadamente contra António Mexia e Manso Neto. Ao Jornal Económico (acesso pago), diz que os acionistas da empresa sabem que as acusações “não têm fundamento”.

“O Conselho de Administração sempre foi transparente em relação a todas estas questões e deu todas as informações. O CGS sempre acompanhou as varias fases deste processo e mostrou a sua solidariedade para com esses dois administradores”, diz. “Os acionistas da EDP sabem que as questões em análise no poder judicial, que respeitam, não têm fundamento e são soberanos na escolha dos administradores“, remata, questionado sobre uma possível recondução de Mexia.

Numa longa entrevista ao JE, Catroga fala, além da EDP, da TAP e Efacec, mas também do Novo Banco. Diz que é preciso “utilizar os mecanismos contratuais e legais para garantir a transparência de todo o processo”, defendendo as auditorias. “Agora vejo muita espuma mediática para iludir a perceção das pessoas e comentadores e provocada por forma a disfarçar eventuais responsabilidades do modelo da decisão tomada pelo Governo e Banco de Portugal e negociada com a Comissão Europeia em outubro de 2017 – então talvez a negociação possível -, mas que os desenvolvimentos posteriores da atual crise do Covid-19 evidenciam consequências negativas face as expectativas vendidas à opinião pública em outubro de 2017″, remata.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Acionistas da EDP sabem que as acusações contra Mexia “não têm fundamento”, diz Catroga

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião