DGS admite rever normas sobre uso obrigatório de máscara

  • Lusa
  • 28 Agosto 2020

Graça Freitas sublinhou que essa possibilidade deve ser "avaliada com bom senso", tendo em conta o risco e a proporcionalidade, uma vez que em determinados espaços e situações não se justifica.

A diretora-geral da Saúde admitiu esta sexta-feira que as normas relativas ao uso de máscara estão a ser revistas, incluindo a sua obrigatoriedade em espaços públicos.

Durante a habitual conferência de imprensa sobre a situação epidemiológica em Portugal, Graça Freitas foi questionada sobre uma notícia avançada pelo Jornal de Notícias que apontava a possibilidade de tornar obrigatório o uso de máscaras em espaços públicos.

Nós estamos, neste momento, a revisitar as máscaras em três aspetos que me parecem importantes”, começou, explicando que um desses aspetos é a sua utilização em espaços públicos.

A diretora-geral sublinhou, no entanto, que essa possibilidade deve ser “avaliada com bom senso”, tendo em conta o risco e a proporcionalidade, uma vez que em determinados espaços e situações não se justifica.

“Ir para uma rua movimentada de uma cidade é diferente do que passear o cão às 22h00 numa zona não movimentada. Temos de ter esse bom senso e esse sentido de proporcionalidade”, ilustrou.

Coronavírus Dados Informativos

Última atualização: 2021-02-25 17:16:01

Fonte: DGS

  • Confirmados

    801.746

    +1160

  • Internados

    2.613

    -154

  • Internados UCI

    536

    -31

  • Óbitos

    16.185

    +49

Os outros dois aspetos relacionados com o uso de máscara que a Direção-Geral da Saúde (DGS) está a rever dizem respeito às crianças e aos diferentes tipos de máscara.

Sobre o primeiro, Graça Freitas referiu uma nova orientação da Organização Mundial da Saúde, divulgada na segunda-feira, que aconselha o uso de máscaras nas escolas a crianças entre os 6 e os 11 anos.

Em relação aos diferentes tipos de máscara, a diretora-geral referiu que estão a ser analisados novos estudos sobre o tema, adiantando que, mesmo que não seja criada uma norma a esse respeito, a DGS vai divulgar informação sobre a eficácia de determinadas máscaras, de forma a “permitir às pessoas utilizar as máscaras que têm à sua disposição de forma informada”.

Portugal registou mais seis mortes associadas à covid-19 e 401 novos casos confirmados de infeção nas últimas 24 horas, segundo o boletim epidemiológico da DGS hoje divulgado.

De acordo com os dados da DGS, desde o início da pandemia até hoje, registaram-se em Portugal 57.074 casos de infeção e 1.815 mortes.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

DGS admite rever normas sobre uso obrigatório de máscara

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião