Portugal abaixo da média europeia de licenciados

  • ECO
  • 18 Setembro 2020

No ano passado, mais de 40% das pessoas entre os 30 e os 34 anos da União Europeia tinham concluído o ensino superior. Em Portugal, a Área Metropolitana de Lisboa destaca-se.

Mais de 40% das pessoas com idades entre os 30 e os 34 anos que viviam na União Europeia (UE), em 2019, tinham concluído o ensino superior, tendo sido, assim, atingida a meta europeia para esse ano. De acordo com os dados do Eurostat, cerca de metade das regiões da UE conseguiram mesmo bater esse objetivo. Portugal aparece abaixo a média europeia.

Na maioria dos Estados-membros, a região coincidente com a capital foi aquela que registou a percentagem mais elevada de estudantes com o ensino superior concluído. Além disso, no ano passado, das 237 regiões analisadas, 101 bateram ou superaram a meta de 40% de licenciados; Outras nove ultrapassaram mesmo os 60%.

A Lituânia destaca-se e ocupa o lugar cimeiro da a tabela com a região de Sostinės: 70,4% das pessoas entre os 30 e os 34 anos tinham concluído o ensino superior, em 2019, nessa região. Atrás aparece a região polaca de Warszawski stołeczny (69,2%) e a dinamarquesa Hovedstaden (64,2%).

No lado oposto da tabela, aparecem as regiões romenas de Nord-Est (15,5%), Sud-Muntenia (16,3%), Sud-Est (17,8%) e Sud-Vest Oltenia (18,6%). Destaque também para a região Severozapaden, na Bulgária (17,1%) e para a região italiana de Calábria (19,9%).

Percentagem de pessoas entre os 30 e os 34 anos que concluíram o ensino superior.Eurostat

Por cá, a Área Metropolitana de Lisboa destaca-se com 40,2% das pessoas entre os 30 e os 34 anos a concluírem o ensino superior, à frente do Centro (36,5%) e da Região Autónoma da Madeira (31,9%). O Norte aparece com 37,1%, seguido do Algarve com 31,2% e do Alentejo com 29,3%. Os dados para a Região Autónoma dos Açores não estão disponíveis. No total, em Portugal, 36,2% das pessoas entre os 30 anos e os 34 anos concluíram o ensino superior.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Portugal abaixo da média europeia de licenciados

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião