BCP quer vender ativos tóxicos no valor de 750 milhões

  • ECO
  • 25 Setembro 2020

O banco liderado por Miguel Maya prepara-se para vender duas carteiras de ativos tóxicos, com um valor global de cerca de 750 milhões de euros.

O Millennium BCP está a preparar a venda de duas carteiras de ativos tóxicos, com um valor global de cerca de 750 milhões de euros, revelou fonte próxima do processo ao Jornal Económico (acesso pago).

Em causa estão dois pacotes, um de crédito malparado e outro de ativos imobiliários, cuja venda está a ser assessorada pela KPMG. O projeto “Webb” engloba aproximadamente 300 milhões de euros de crédito malparado de pequenas e médias e empresas, enquanto o outro pacote envolve dívida corporate e ativos imobiliários, num montante que ronda os 450 milhões de euros, avança o mesmo jornal.

O banco liderado por Miguel Maya ainda não prestou esclarecimentos sobre a operação. O BCP tem procedido à venda de crédito malparado, bem como de ativos imobiliários, com o intuito de limpar e fortalecer o balanço. Segundo conta no plano estratégico da instituição financeira até 2021 o BCP pretende reduzir o stock de NPE para três mil milhões de euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

BCP quer vender ativos tóxicos no valor de 750 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião