Viabilização do Orçamento pelo BE está do lado do Governo, diz Catarina Martins

  • Lusa
  • 17 Outubro 2020

BE diz que Orçamento, como está, "não terá repercussão nenhuma na vida das pessoas e não responde às necessidades do país”.

A coordenadora do Bloco de Esquerda avisou, este sábado, que a viabilização pelo partido do Orçamento do Estado na generalidade está do lado do Governo, registando a marcação de negociações após declarações “destemperadas” do PS.

Em declarações aos jornalistas à margem de uma visita ao Centro de Controlo Oceânico da NAV Portugal na ilha de Santa Maria, no âmbito da campanha para as eleições regionais dos Açores, Catarina Martins sublinhou que, “olhando para as letras miudinhas” do Orçamento do Estado para 2021, percebe-se que o que “está anunciado não terá repercussão nenhuma na vida das pessoas e não responde às necessidades do país”.

“O que precisamos não é de um Orçamento que faz anúncios mais ou menos iguais aos anúncios do Orçamento passado. O que precisamos é de um Orçamento que responda mesmo por um ano muito duro de crise com muita responsabilidade. E para isso é preciso a proteção social para acudir às vitimas da crise. E para isso é preciso que o SNS tenha os profissionais [de que necessita]”, acrescentou.

Questionada sobre se a viabilização do Orçamento do Estado na generalidade por parte do BE está do lado do Governo, Catarina Martins respondeu: “O Governo sabe que sim”.

“O Governo conhece as prioridades do Bloco de Esquerda: conter a vaga de despedimentos, apoiar as vítimas da crise, ter um serviço nacional de saúde que responda e ter critérios de transparência na forma como os dinheiros públicos são usados. Isto é absoluta sensatez”, elencou.

Relativamente à convocatória para uma reunião de negociação com o Governo na terça-feira, Catarina Martins registou que a mesma surge depois de “declarações destemperadas” do PS, numa referência ao facto de ter sido acusada pelos socialistas de mentir.

O Governo, compreendendo que [essas declarações] não tinham nenhum sentido, marcou as reuniões, que nós já estamos, aliás, à espera e disponíveis há bastante tempo”, referiu. A Assembleia da República começa no dia 27 a debater a proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2021, estando a votação na generalidade marcada para o dia seguinte.

Na terça-feira, o BE sublinhou que as divergências sobre o Orçamento do Estado para 2021 não são sobre detalhes, “mantendo a porta aberta” para que o PS reconsidere em quatro matérias, sem as quais não tem condições para viabilizar o documento.

A Mesa Nacional do BE vai reunir-se no dia 25 para decidir o sentido de voto do partido na generalidade.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Viabilização do Orçamento pelo BE está do lado do Governo, diz Catarina Martins

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião