Navigator começa a pagar 99 milhões de euros aos acionistas a 10 de dezembro

  • Lusa
  • 25 Novembro 2020

A Navigator irá começar a pagar um total de 99 milhões de euros em dividendos extraordinários aos acionistas a partir do dia 10 de dezembro, anunciou à CMVM.

A Navigator irá começar a pagar aos acionistas um total de 99 milhões de euros a partir do dia 10 de dezembro, de acordo com um comunicado à CMVM.

“Nos termos legais, avisam-se os senhores acionistas que, de acordo com a deliberação da assembleia-geral extraordinária de 24 de novembro de 2020, a The Navigator Company S.A. irá proceder ao pagamento de reservas inscritas na rubrica de ‘resultados transitados’, a partir do dia 10 de dezembro de 2020”, por 0,1394 euros por ação, ilíquidos.

“A partir do dia 8 de dezembro de 2020 (inclusive), as ações serão transacionadas em mercado regulamentado sem conferirem direito ao referido pagamento”, informou ainda a Navigator.

Os acionistas da Navigator aprovaram, em assembleia-geral extraordinária realizada nesta terça-feira, a distribuição de resultados transitados do grupo, num total de 99 milhões de euros, segundo um comunicado enviado à CMVM.

“Foi aprovada, por unanimidade, a proposta de distribuição de reservas inscritas na rubrica ‘Resultados Transitados’ de um valor equivalente a 0,1394 euros por ação em circulação”, adiantou a empresa, na mesma nota.

A Navigator convocou esta assembleia-geral extraordinária em 30 de outubro, indicando que iria decorrer através de meios telemáticos, com o ponto único da ordem de trabalhos a ser a deliberação sobre a distribuição de 99 milhões de euros de resultados transitados. A papeleira precisou, noutro comunicado, que tem inscritos naquela rubrica 611.911.916 euros.

Em 25 de junho, os acionistas decidiram transferir os resultados líquidos das contas individuais de 2019, no valor de 168.290.314,97 euros para as reservas livres. Neste sentido, é então proposto que sejam distribuídos 99.138.919,82 euros, equivalente a 0,1394 euros por ação.

“O referido valor por ação tem em consideração o montante de 6.316.931 ações próprias em carteira, propondo-se igualmente que aquele valor total de reservas a distribuir seja atualizado à data do pagamento, caso se verifique a alteração do número da ações próprias, de modo a que se mantenha inalterado o valor proposto distribuir por cada ação em circulação”, notou a empresa.

Os lucros da Navigator caíram 49% no período entre janeiro e setembro, em termos homólogos, para 75,2 milhões de euros, ainda que a empresa tenha registado uma recuperação no terceiro trimestre face ao anterior, adiantou o grupo, em comunicado, em 27 de outubro.

“O terceiro trimestre de 2020 ficou marcado pela retoma gradual da procura de papéis de impressão e escrita, depois de um segundo trimestre muito influenciado pelas medidas de confinamento e consequente impacto ao nível do consumo de papel”, indicou a empresa.

Nos primeiros nove meses deste ano, a Navigator contabilizou vendas de 1.044 milhões de euros, um valor 18,1% abaixo do obtido em igual período do ano passado.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Navigator começa a pagar 99 milhões de euros aos acionistas a 10 de dezembro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião