BRANDS' PESSOAS A importância de storytelling na gestão de pessoas

  • PESSOAS + EY
  • 2 Dezembro 2020

Helga Piçarra, consultora senior EY, People Advisory Services, explica como a arte de conta histórias pode ajudar nos processos e políticas de gestão de pessoas e impactar as organizações.

As histórias têm poder fazem parte do nosso ADN e podem sim, impactar organizações inteiras. Nos últimos anos, muito se tem falado de storytelling e de como esta ferramenta pode ser aplicada em diversas componentes do negócio.

A arte de contar histórias, ou storytelling, é a capacidade de envolver e conquistar as pessoas através da narração de acontecimentos. O storytelling é constituído por dois elementos fundamentais: dados concretos sobre determinado tema, que por si só, normalmente não são um elemento capaz de conquistar a atenção das pessoas, e, talvez o mais importante, a emoção. É a emoção estimula um maior envolvimento dos ouvintes na narrativa. Quando aplicado no contexto corporativo, o storytelling é uma técnica que permite partilhar informações ou mesmo até decisões importantes e estratégicas, de uma maneira mais descontraída e interativa.

É inegável que os resultados que esta técnica tem demonstrado nas organizações nos últimos anos são muito positivos. Mas de que forma podemos integrar histórias – boas histórias – nos processos e políticas de gestão de pessoas?

  • Cultura Organizacional – normalmente as empresas têm materiais que contam toda a sua história, desde a fundação até a atualidade. Mas a verdade é que muitos colaboradores não leem tal informação. Para reforçar a cultura organizacional, o storytelling, pode ser utilizado para apresentar a história da empresa de uma forma envolvente, apresentando os principais milestones e conquistas, mas também destacando de Colaboradores chave que contribuíram para o desenvolvimento da empresa, apresentando o seu percurso profissional dentro da organização, com alguns episódios de relevantes. Por meio desta narrativa, as empresas estarão a reforçar o elo com os seus trabalhadores e destes com a missão, os valores e comportamentos que desejam fomentar.
  • Recrutamento – com a automação de vários processos de recursos humanos, e sendo que a recrutamento já é uma realidade em diversas empresas, o storytelling surge como uma ferramenta poderosa para ajudar o recrutador a identificar competências chaves nos candidatos, como por exemplo: empatia, flexibilidade, resolução de conflitos e lições aprendidas.
  • Onboarding – durante o processo de onboarding, o storytelling pode ser usado na apresentação da empresa, partilhando o trabalho que a empresa desenvolve, bem como os seus impactos e resultados. Esta medida pode servir para encantar e inspirar os novos colaboradores, aumentando os níveis de motivação, facilitando a integração e alinhamento com a cultura organizacional.

  • Formação – o tempo em que as ações de formação se resumiam apenas a Power Points sem vida e uma sala onde só se ouve uma única voz já passou. O storytelling tem demonstrado ser uma ferramenta poderosa que tem servido para aumentar os níveis de interação e absorção de conhecimento durante as ações de formação. Quando uma história é contada, os formandos visualizam melhor o tema que está a ser abordado, ajudando na memorização e consequentemente conseguem facilmente por em prática o conhecimento transmitido.
  • Comunicação Interna – a comunicação interna das empresas não precisa de ser monótona. Ao aplicar técnicas de storytelling ao comunicar internamente, a empresa pode recorrer a narrativas que estejam relacionadas com o dia-a-dia dos colaboradores – destacando as suas expectativas e principais necessidades – o que resultará num maior engagement por parte dos colaboradores.
  • Liderança – com a automação de muitas profissões na maioria dos setores de atividade, é cada vez mais importante que as pessoas tenham consciência que são responsáveis pelas suas carreiras e que se devem comportar como líderes no sentido em que uma narrativa bem construída pode efetivamente alterar decisões e influenciar pessoas – em todos os níveis da organização – a adotar posicionamentos diferentes.

Nos tempos em que vivemos, cada vez mais carregados de informação, o storytelling apresenta às empresas uma maneira conectar pessoas, capaz de influenciar decisões e trazer resultados positivos quando aplicada correta e estrategicamente. Sendo as pessoas, o mais importante nas organizações, nada melhor do que uma união através de boas histórias!

Se tem interesse em receber comunicação da EY Portugal (convites, newsletters, estudos, etc), por favor clique aqui.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

A importância de storytelling na gestão de pessoas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião