Segurança Social disponibiliza consulta online de processos de contraordenação

  • Lusa
  • 4 Dezembro 2020

É uma nova funcionalidade na Segurança Social Direta. A partir de agora, é possível consultar os processos de contraordenação, contestá-los ou verificar alertas de pagamentos online.

A Segurança Social disponibilizou, esta sexta-feira, um novo serviço online através do qual empresas e trabalhadores independentes podem consultar os processos de contraordenação, contestá-los ou verificar alertas de pagamento, entre outras funcionalidades.

Este novo serviço abrange todas as entidades ou pessoas coletivas que possuam uma relação obrigatória com a Segurança Social, nomeadamente, entidades empregadoras, trabalhadores independentes, entidades contratantes e entidades no âmbito da Tutela e Regulação, segundo indica a informação disponível no site da Segurança Social.

Através desta nova funcionalidade é possível consultar todos os processos de contraordenação e o respetivo histórico, verificar as notificações de pagamento, emitir documento para pagamento ou ainda enviar eletronicamente os meios dessa que a lei lhes confere, ou seja, responder, contestar ou impugnar o processo.

Para consultarem os respetivos processos de contraordenação os trabalhadores independentes, empresas e demais entidades abrangidas devem aceder ao menu “Conta Corrente”, depois de se terem autenticado.

A Segurança Social alerta que as notificações eletrónicas são recebidas na caixa de mensagens pessoal da Segurança Social Direta, considerando-se que as entidades ficam notificadas a partir do momento em que acedam à notificação ou decorridos 15 dias após o envio das mesmas.

Em paralelo é também enviado um alerta para o endereço de e-mail que se encontre indicado e registado na Segurança Social Direta.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Segurança Social disponibiliza consulta online de processos de contraordenação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião