Governo vai suspender acordos de empresa da TAP durante 4 anos

  • ECO
  • 7 Dezembro 2020

Os acordos de empresa da TAP vão estar suspensos durante os próximos quatro anos. Os cortes salariais serão graduais até a um máximo de 25%.

Os acordos de empresa do grupo TAP, o qual entrará num processo de reestruturação, vão ser suspensos durante quatro anos, de acordo com o Correio da Manhã esta segunda-feira. A decisão foi comunicada aos sindicatos pelo ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, nas reuniões da semana passada.

O ministro terá ainda dito que os cortes na massa salarial dos trabalhadores da TAP inserem-se na suspensão do acordo de emprego, sendo graduais até a um máximo de 25%. O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) critica o plano de reestruturação, argumentando que está desatualizado face ao desenvolvimento de vacinas.

O decreto-lei que suspende os acordos de empresa só será publicado após a aprovação do plano de reestruturação da TAP na Assembleia da República. O Governo quer levar ao Parlamento a votação do plano de reestruturação da TAP, que obriga ao despedimento de cerca de dois mil trabalhadores e a cortes salariais médios de 25%.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Governo vai suspender acordos de empresa da TAP durante 4 anos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião