Fidelidade mantém atendimento em todas as lojas e agências

  • ECO Seguros
  • 14 Janeiro 2021

As 420 agências e lojas espalhadas pelo País vão continuar a sua atividade e podem atender através de marcação e sempre por telefone e o e-mail.

A Fidelidade vai manter o atendimento presencial em toda a rede a partir de amanhã, início do novo período de confinamento obrigatório. A Companhia afirma que “acompanhando as últimas decisões do Governo e seguindo as recomendações da Direção-Geral de Saúde (DGS) relativas à evolução do COVID-19 em Portugal, a Fidelidade agindo com responsabilidade ativa na prevenção da saúde dos seus colaboradores, parceiros de negócio e clientes, mantém o atendimento presencial em todas as suas Agências por marcação em horário até às 16h, e data a combinar“.

A seguradora recomendou que seja seguido o mesmo procedimento nos 420 pontos de atendimento que tem espalhados pelo País. As Agências e as Lojas Fidelidade vão continuar a sua atividade, disponibilizando-se também para atender os clientes por telefone e/ou email, até que a situação se encontre normalizada segundo as indicações da Direção Geral de Saúde.

“A Fidelidade dá assim mais um passo na implementação do Plano de Contingência de combate ao Covid-19 que tem em curso, e recomenda também aos demais parceiros que sigam este procedimento para boa proteção de todos”, afirma a seguradora.

Os clientes da Fidelidade estão a ser informados, “por todas as formas possíveis” sobre o funcionamento do serviço da Companhia, reforçando a Fidelidade que “esta alteração não prejudica em nada o nosso nível de serviço, podendo os nossos clientes usar de forma permanente o telefone e o e-mail para nos contactar”.

Os serviços centrais da companhia vão continuar em regime de teletrabalho.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fidelidade mantém atendimento em todas as lojas e agências

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião