Bruxelas avisa Pfizer: “Temos um contrato, precisamos das vacinas agora”

A presidente da Comissão Europeia sinalizou que há um contrato, pelo que a Pfizer e a BioNTech deverão respeitar os prazos previstos para a entrega de vacinas.

“Temos um contrato, precisamos das vacinas agora.” A declaração partiu da presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, referindo-se aos atrasos nas entregas de vacinas da BioNTech e da Pfizer, na conferência de imprensa depois da apresentação do programa da presidência portuguesa do Conselho no Parlamento Europeu, em Bruxelas.

“Na passada sexta-feira fomos surpreendidos pela comunicação de atraso da Pfizer/BioNTech. Telefonei de imediato ao presidente da Pfizer e disse que era muito importante recebermos as doses definidas nos contratos”, disse Ursula von der Leyen. “A maioria dos países já iniciou o plano de vacinação e temos de aplicar a segunda dose. É uma necessidade médica”, reiterou.

Ursula von der Leyen disse ainda que, na sequência do telefonema, a Pfizer “emitiu um comunicado de imprensa, corrigindo a informação”. “Eu confio nessa informação pública”, apontou na mesma conferência de imprensa, transmitida em direto pela RTP3.

Além disso, a presidente da Comissão Europeia assegurou que “o número de vacinas vai aumentar”, com a chegada de outras vacinas, como a da AstraZeneca e a da Curevax. Na calha está ainda a vacina da Johnson & Johnson.

Portugal assegura vacinação nos lares

Também nesta ocasião, o primeiro-ministro português, António Costa, disse que Portugal está em vias de concluir a vacinação contra a Covid-19 nos lares.

“É com satisfação que podemos hoje ter a certeza de que, no final da próxima semana, estará assegurada a vacinação de todas as pessoas em lares ou que trabalham em lares”, afirmou.

Questionado sobre se o país pode ajustar o plano de vacinação à luz das mais recentes orientações europeias, António Costa não deu uma resposta conclusiva. “Temos aprendido uns com os outros e estou certo de que a comissão técnica portuguesa terá em conta as recomendações europeias. Isso implica, ou não, uma revisão dos critérios de vacinação definidos”, disse.

Bruxelas saúda Joe Biden antes da tomada de posse

Ursula von der Leyen mostrou-se, por fim, satisfeita com a tomada de posse do Presidente eleito Joe Biden nos EUA, assinalando que tal poderá representar um reforço da cooperação transatlântica.

“É o fim de um período de quatro anos muito difíceis nas relações com os EUA, mas agora voltam a abraçar a recuperação internacional”, disse Ursula von der Leyen, cujo discurso foi sendo traduzido em tempo real pela estação pública portuguesa.

“Os EUA vão aderir novamente ao Acordo de Paris. É uma boa notícia para todos nós. Saudamos esse passo, mas é mais uma razão para que a União Europeia acelere os seus esforços para continuar a liderar. É uma concorrência saudável quando falamos de economia verde”, apontou.

Face a isto, a presidente da Comissão Europeia e o primeiro-ministro português apelou a que os Estados-membros acelerem a ratificação da autorização para que Bruxelas possa angariar recursos próprios para financiar o fundo de recuperação.

Joe Biden toma posse na tarde desta quarta-feira como 46.º Presidente dos EUA.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Bruxelas avisa Pfizer: “Temos um contrato, precisamos das vacinas agora”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião