BCE vai acelerar “bazuca” monetária no segundo trimestre

O conselho de governadores do BCE espera que no segundo trimestre haja uma aceleração do programa pandémico de compra de ativos.

O Banco Central Europeu (BCE) decidiu manter os juros diretores em níveis historicamente baixos e não mudar a dimensão da sua “bazuca” monetária de 1,85 biliões de euros, o programa de compras de emergência pandémica (PEPP, na sigla inglesa), contra a crise provocada pela pandemia. No entanto, decidiu acelerar a compra de ativos ao abrigo do PEPP, esperando um “ritmo significativamente mais elevado” no segundo trimestre, em comparação com o primeiro trimestre.

Com base numa avaliação conjunta das condições de financiamento e das perspetivas de inflação, o Conselho do BCE espera que as aquisições no âmbito do PEPP ao longo do próximo trimestre sejam conduzidas a um ritmo significativamente mais elevado do que nos primeiros meses deste ano“, lê-se no comunicado divulgado esta quinta-feira.

Esta é a resposta do BCE face aos últimos dados que mostram uma desaceleração das compras líquidas de ativos ao abrigo do PEPP e dos outros programas de ativos. Face à retórica dos membros do conselho executivo do BCE, os analistas esperavam uma aceleração da aquisição de ativos e não uma desaceleração. Em causa está o facto de os juros de longo prazo das dívidas soberanas terem subido por causa da expectativa de alguns investidores de que a inflação vai subir significativamente com a recuperação da economia.

Na conferência de imprensa, a presidente do BCE, Christine Lagarde, explicou que o BCE não deixou de querer preservar as condições de financiamento favoráveis, um compromisso assinalado em dezembro. No entanto, decidiu esperar para tomar uma decisão relativamente à compra de ativos porque quis aguardar pela reunião de política monetária que estava à porta e pelas projeções da equipa do BCE para fazer uma “avaliação conjunta” sobre o que se iria fazer. Lagarde vincou que houve “total consenso” na decisão tomada nesta reunião.

Quanto ao que significa exatamente um “ritmo significativamente mais elevado”, a presidente do BCE afirmou que não há nenhum número para o qual estejam a apontar. Mais: Lagarde avisou que na próxima semana, nos dados mensais da compra de ativos, ainda não vai ser visível este compromisso assumido esta quinta-feira uma vez que ainda há muitas amortizações que reduzem as compras líquidas de ativo. “Não esperem um grande aumento já na próxima semana“, disse, garantindo, porém, que a decisão começará a ser implementada ainda esta quinta-feira e que o BCE está a olhar para um “horizonte de tempo maior”.

Para acalmar os investidores, Christine Lagarde deixou a garantia de que poderá haver reuniões extraordinárias do conselho de governadores do BCE se for necessário para ajustar a “bazuca” monetária, mas disse que há flexibilidade suficiente para que a comissão executiva do banco central ajuste o que for preciso. A presidente do BCE também indicou que dos 1,85 biliões de euros ainda está disponível cerca de um bilião de euros.

No comunicado divulgado após a reunião do conselho de governadores, onde participa Mário Centeno, governador do Banco de Portugal, o banco central promete ainda flexibilidade para “evitar um aumento da restritividade das condições de financiamento que seja incompatível com contrariar o impacto em sentido descendente da pandemia na trajetória projetada da inflação”.

“Além disso, a flexibilidade das aquisições ao longo do tempo, por classes de ativos e entre jurisdições continuará a apoiar a transmissão regular da política monetária“, assegura o BCE, explicando que os 1,85 biliões de euros tanto podem não ser utilizados na íntegra como a dotação “pode ser recalibrada, se necessário”. Tudo dependerá das condições de financiamentos, as quais o BCE quer manter “favoráveis, a fim de ajudar a contrariar o choque negativo provocado pela pandemia na trajetória da inflação”.

As compras do PEPP irão durar pelo menos até daqui a um ano, março de 2022, e os montantes serão reinvestidos pelo menos até ao final de 2023. “De qualquer forma, a futura descontinuação gradual da carteira do PEPP será gerida de modo a evitar interferências com a orientação de política monetária apropriada“, garante o BCE.

De resto, o comunicado é semelhante às versões anteriores, nomeadamente mantendo os juros em níveis historicamente baixos, tal como se esperava. A expectativa do BCE é que os juros “se mantenham nos níveis atuais ou em níveis inferiores até observar que as perspetivas de inflação estão a convergir de forma robusta no sentido de um nível suficientemente próximo, mas abaixo, de 2% no seu horizonte de projeção e que essa convergência se tenha refletido consistentemente na dinâmica da inflação subjacente”.

(Notícia atualizada às 14h04 com declarações da conferência de imprensa)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

BCE vai acelerar “bazuca” monetária no segundo trimestre

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião