Novo Banco precisava de mais 3,6 mil milhões quando “nasceu”

  • ECO
  • 22 Março 2021

A recapitalização inicial do Novo Banco deveria ter sido de 8,5 mil milhões de euros para que cumprisse os rácios de capital exigidos pelo Banco de Portugal. Porém, recebeu menos 3,6 mil milhões.

8,5 mil milhões de euros. Seria este o montante das necessidades de capital do Novo Banco quando iniciou atividade em 2014, na sequência da resolução do BES. No entanto, a recapitalização inicial ficou-se pelos 4,9 mil milhões, isto é, 3,6 mil milhões abaixo.

O número foi avançado pelo Jornal de Negócios (acesso pago), citando documentos internos de trabalho da instituição liderada por António Ramalho. O jornal lembra que, há quase sete anos, quando o Novo Banco arrancou atividade, alguns responsáveis alertaram que a recapitalização inicial era insuficiente, incluindo do Banco Central Europeu.

Os 3,6 mil milhões adicionais permitiriam ao Novo Banco, assim, cumprir os rácios de capital impostos pelo Banco de Portugal e estar até 2017 sem ser necessária uma nova capitalização, assegura o jornal.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Novo Banco precisava de mais 3,6 mil milhões quando “nasceu”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião