Estado paga quatro milhões por parte de edifício de escritórios em Lisboa

Imóvel está localizado em Entrecampos, perto da linha de comboio. Conta com 238 unidades de escritórios e duas lojas, num total de 21 andares.

O Estado fez mais uma aquisição imobiliária em Lisboa. Continuando focado no segmento de escritórios, adquiriu uma parte de um edifício de escritórios com 21 andares, numa operação avaliada em cerca de quatro milhões de euros.

É um dos prédios mais altos da capital. Foi construído em 1991 e está localizado no centro de Lisboa, próximo da Avenida 5 de Outubro e do Campo Pequeno. Conta com um total de 238 frações de escritórios e duas unidades de comércio distribuídas por 21 andares.

O Edifício Arcis foi vendido ao fundo imobiliário Imopoupança, representado pela Fundiestamo, sociedade pertencente à Parpública que gere o património imobiliário do Estado. A operação, avaliada em cerca de quatro milhões de euros, foi assessorada pela Altamira.

Estado comprou parte do edifício Arcis por cerca de quatro milhões de euros.Google Maps

“Esta operação demonstra que, mesmo num contexto de incerteza devido à pandemia, o mercado imobiliário nacional continua ativo e a gerar interesse junto de investidores nacionais, e também de investidores estrangeiros”, diz João Ribeiro, diretor de Real Estate da Altamira Portugal, citado no comunicado enviado esta segunda-feira.

O responsável nota ainda que “o mercado de escritórios continua a revelar-se muito dinâmico, tanto pelas transações que têm ocorrido recentemente em Lisboa e no Porto, que revelam o interesse dos investidores neste produto e no mercado português, assim como através do foco das empresas no bem-estar dos colaboradores e na procura de espaços de qualidade e de localização distinta”.

Em março deste ano, o Estado somou mais uma aquisição no mercado de escritórios da capital, depois de ter comprado um edifício numa das zonas mais nobres da cidade à Explorer. Desconhece-se, contudo, o valor desta operação.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Estado paga quatro milhões por parte de edifício de escritórios em Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião