BRANDS' PESSOAS A cultura organizacional como fator preponderante para a gestão e definição estratégica

  • PESSOAS + EY
  • 25 Outubro 2021

Eliana Canteiro, consultant EY, People Advisory Services, explica em que medida a cultura organizacional tem um papel fundamental no funcionamento das organizações.

A dinâmica de trabalho nas organizações é fundamentalmente marcada pela orgânica, individual e de grupo, e pelo meio social em que as pessoas se inserem. Os gestores são recomendados a dar toda a atenção ao tema da cultura organizacional e a definir estratégias para estabelecer e desenvolver a cultura mais apropriada ao seu negócio e à sua atividade.

Podemos definir a cultura organizacional, de forma simples, como o conjunto de valores, costumes, comportamentos, as regras não escritas estabelecidas na organização e seguidas tanto a nível individual como a nível de grupo, por todos os colaboradores, quer sejam gestores ou técnicos. Neste sentido, é muito importante que os gestores compreendam os aspetos da cultura para que, acima de tudo, possam implementar medidas que permitam ajustar estes elementos, em benefício dos objetivos da organização e da satisfação das pessoas.

"Pretende-se que as organizações tenham pessoas produtivas e satisfeitas, mas também, que a organização tenha um grupo de pessoas coesas que vivem a sua cultura, os seus princípios, que acreditem nos seus valores e costumes.”

Eliana Canteiro

Consultant EY, People Advisory Services

Numa organização, pretende-se que as pessoas tenham um ambiente de trabalho saudável e que trabalhem motivadas. Os gestores preocupam-se bastante com o wellbeing ou a satisfação das pessoas porque uma pessoa satisfeita no seu dia-a-dia profissional é uma pessoa motivada e mais produtiva. Para o efeito e para o desenvolvimento do conhecimento dos níveis de satisfação, os gestores realizam, e devem realizar periodicamente, pesquisas de clima e satisfação no trabalho. É sim bastante positivo, e os resultados das pesquisas indicam, por vezes, aspetos fáceis e rápidos de corrigir e de implementar que alavancam a satisfação individual e de grupo, levando à melhoria dos resultados produzidos.

Há organizações que, tentando proporcionar níveis de satisfação elevados no ambiente interno, implementam ações que, de alguma forma, podem distorcer a cultura organizacional ou o alinhamento com a mesma. Deve perceber-se que há uma diferença entre estes conceitos, nos seus objetivos e nas ações que podem ser implementadas para os gerir. Pretende-se que as organizações tenham pessoas produtivas e satisfeitas, mas também, que a organização tenha um grupo de pessoas coesas que vivem a sua cultura, os seus princípios, que acreditem nos seus valores e costumes. As organizações também falam, também se expressam e têm a sua própria identidade. O papel dos Gestores é fundamental para garantir que a cultura seja muito própria e que seja seguida pelos restantes.

"Cultura estabelecida e pessoas alinhadas, a combinação perfeita para os gestores atingirem as suas metas de negócio e para as pessoas desempenharem as funções estando satisfeitas (porque se identificam com a cultura), atingirem as suas metas de desenvolvimento profissional e de carreira.”

Eliana Canteiro

Consultant EY, People Advisory Services

As ações estratégicas devem ser pensadas no sentido Organização-Pessoa e não o inverso. Com isto, dizer que sob o ponto de vista organizacional e dos gestores, uma forma de atuar é fazer com que o grupo e os indivíduos se ajustem à cultura existente. É neste sentido que é necessário estudar e identificar comportamentos desviantes, quando as organizações sabem que querem estabelecer uma cultura com certas características e que o grupo adira às mesmas. É um caminho talvez um pouco subjetivo, mas possível. Mostrar às pessoas que se beneficiam também da cultura organizacional se optarem por seguir os valores, adotar os comportamentos e assimilar as crenças implícitas na organização.

Este trabalho de gestão vai facilitar a implementação de estratégias com vista à gestão da cultura organizacional e das pessoas, a vários níveis. Quer a nível de gestão das pessoas que já fazem parte da organização, quer a nível de retenção e recrutamento. Há pessoas que procuram trabalhar em certas organizações por causa da sua cultura e forma de estar no mercado de trabalho. Os gestores vão conseguir estabelecer um grupo de trabalho que “veste a camisola”.

Estas pessoas devem “comunicar” com a organização e agir de acordo com a sua cultura estando perfeitamente comprometidas. Acredita-se que neste caso, quando as pessoas abraçam a cultura há uma harmonia saudável, win-win. Cultura estabelecida e pessoas alinhadas, a combinação perfeita para os gestores atingirem as suas metas de negócio e para as pessoas desempenharem as funções estando satisfeitas (porque se identificam com a cultura), atingirem as suas metas de desenvolvimento profissional e de carreira.

Interessado em saber mais? Subscreva aqui as comunicações da EY Portugal (convites, newsletters, estudos, etc).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

A cultura organizacional como fator preponderante para a gestão e definição estratégica

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião