SNS gastou 400 milhões com horas extra e prestações de serviço este ano

  • ECO
  • 2 Dezembro 2021

Até setembro, os enfermeiros tinham feito mais de cinco milhões de horas extras e os médicos mais de quatro milhões.

As horas extraordinárias feitas pelos profissionais de saúde este ano ascendem a 18,5 milhões até outubro, o que ultrapassa o valor total realizado no ano passado. Estas horas extras, em conjunto com as prestações de serviço (os chamados “tarefeiros”), já custaram mais de 400 milhões de euros ao Serviço Nacional de Saúde (SNS), segundo os dados cedidos pela Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) ao Público (acesso condicionado).

Até setembro, os enfermeiros tinham feito mais de cinco milhões de horas extras e os médicos mais de quatro milhões, números que traduzem as necessidades dos hospitais num ano que continuam pressionados pela Covid-19. Os enfermeiros são o grupo profissional do SNS que mais tem sido chamado a fazer trabalho suplementar.

Além das horas extras dos profissionais da casa, o SNS também recorre às prestações de serviço, os chamados “tarefeiros”. Até setembro foram pagas 3,6 milhões de horas destes recursos humanos externos, o que custou 105,7 milhões de euros ao Serviço Nacional de Saúde. De acordo com o jornal, esta tem sido a solução de hospitais e centros de saúde para dar resposta à procura pelos serviços de saúde.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

SNS gastou 400 milhões com horas extra e prestações de serviço este ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião