Aliança luso-sueca compra armazéns no Cartaxo e Alverca

A Bedrock Capital e o Europi Property Group (EPG) ficam com dois ativos logísticos na região de Lisboa que pertenciam à Norfin, liderada por Francisco Sottomayor e detida pelo grupo Arrow Global.

A Norfin, uma das maiores gestoras de investimentos imobiliários em Portugal, com uma carteira que inclui o empreendimento Metropolis, junto ao estádio de Alvalade — e que já teve no portefólio o Office Park Expo (Campus da Justiça) –, acaba de vender dois ativos logísticos à lisboeta Bedrock Capital Partners e ao Europi Property Group (EPG), que tem sede em Estocolmo e escritório em Londres.

Adquiridos em conjunto, os dois imóveis com 35 mil metros quadrados que estavam integrados no Ibéria FEIF estão localizados um no Cartaxo – arrendado na íntegra a uma empresa da Sonae – e outro em Alverca do Ribatejo (Quinta do Adarse), também totalmente ocupado, de acordo com um comunicado da Savills. A consultora assessorou nesta transação a vendedora, chefiada por Francisco Sottomayor e que é detida desde 2018 pelo grupo Arrow Global.

Instalações logísticas na Quinta do Adarse, Alverca do Ribatejo

Ao longo de quatro anos, a Norfin trabalhou para “melhorar a qualidade dos serviços prestados aos arrendatários, na renovação e melhoria da qualidade dos edifícios”, destaca Daniel Lopes, gestor da Norfin. “Potenciámos o valor de mercado dos ativos e, tendo vendido na altura certa, maximizámos o retorno dos nossos investidores”, acrescentou o responsável, citado numa nota de imprensa.

Potenciámos o valor de mercado dos ativos e, tendo vendido na altura certa, maximizámos o retorno dos nossos investidores.

Daniel Lopes

Gestor da Norfin

Liderada por André Gomes de Sousa e por João Tenreiro Gonçalves, a Bedrock Capital — que geria até agora ativos no valor de 125 milhões de euros — investe pela primeira vez no ramo logístico e estreia com esta operação uma parceria com o EPG. E manifesta-se “otimista em relação ao mercado logístico português, que tem vindo a registar uma procura crescente por parte dos operadores”.

Portugal no “top 5” europeu para investimento logístico

Em crescimento por toda a Europa com o impulso das vendas online, o segmento industrial e de logística atingiu em Portugal um recorde de take-up em 2020, com a Savills a estimar que os números em 2021 devem ser ainda superiores e a confirmar que as operações transfronteiriças, o nearshoring e a industrialização estão a atrair investidores para o mercado logístico nacional.

O European Real Estate Logistics Census, realizado por esta consultora imobiliária internacional, colocou Portugal no grupo dos cinco países mais atrativos para captar investimento em logística — só atrás de França, Alemanha, Espanha e Itália –, numa fase em que 95% dos operadores logísticos antecipam que vão precisar de mais ou do mesmo espaço de armazenamento nos próximos três anos.

Alberto Henriques, Capital Markets Associate Director da Savills Portugal, destaca que a transação destes dois ativos na região de Lisboa foi “um processo eficiente e colaborativo entre todas as partes envolvidas”, sublinhando que “estas unidades, presentes em zonas consolidadas de logística, beneficiam da crescente procura ocupante e da evolução positiva de rendas“.

Instalações logísticas no Cartaxo, arrendadas ao grupo Sonae.

O imobiliário mostrou ser um dos setores mais resilientes durante a pandemia e tudo indica que 2022 assistirá ao mesmo desempenho positivo. Depois de ter encerrado 2021 com mais de 33 mil milhões de euros em transações, a consultora Cushman & Wakefield refere que para este novo ano já se antecipam mais de 2,1 mil milhões de euros em negócios imobiliários apenas do mercado comercial.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Aliança luso-sueca compra armazéns no Cartaxo e Alverca

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião