Dívidas à Segurança Social atingiram 13,3 mil milhões de euros em 2021

  • Lusa
  • 17 Maio 2022

Do valor total de 13,3 mil milhões de euros, encontram-se provisionados 8.325,4 milhões de euros, o equivalente a 62,43% desse valor.

O valor bruto das dívidas de terceiros à Segurança Social atingiu 13,3 mil milhões de euros em 2021, encontrando-se provisionados 8.325,4 milhões de euros, mais de 60% desse valor, segundo a Conta Geral do Estado 2021. De acordo com a Conta Geral do Estado 2021 (CGE), entregue esta terça-feira no parlamento, a Segurança Social tem por cobrar 13.336,1 milhões de euros em dívida de curto, médio e longo prazos.

A CGE detalha que do valor total dos 13,3 mil milhões de euros, encontram-se provisionados 8.325,4 milhões de euros, o equivalente a 62,43% desse valor.

Nas dívidas de terceiros, os contribuintes e outros devedores representam 89,37% e 5,56%, respetivamente, do valor total das dívidas de terceiros de curto, médio e longo prazos.

A CGE assinala ainda que, dentro do ativo circulante líquido, “não obstante a redução de 7,5% da dívida de médio e longo prazos, assistiu-se a um ligeiro acréscimo de dívida de maturidade mais reduzida”, subindo 3,01% face ao ano anterior, devido sobretudo a clientes de cobrança duvidosa, prestações sociais a repor e contribuintes.

O balanço da Segurança Social, e em particular o seu ativo líquido, expressa com maior relevância, no final do exercício de 2021, os saldos nas rubricas de disponibilidades (31.166 milhões de euros) e de dívidas de terceiros de curto e médio e longo prazos (5.010,8 milhões de euros), representando 85,05% e 13,67%, respetivamente, do total desse ativo líquido”, refere.

No que toca às disponibilidades, que atingem 31.166 milhões de euros, 85,54% deste saldo encontra-se aplicado em títulos negociáveis, com especial ênfase nos títulos de dívida pública portuguesa, que representam 80,43% do total desses títulos, detidos pelo Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social e pelo Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Dívidas à Segurança Social atingiram 13,3 mil milhões de euros em 2021

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião