Há quatro escolas de gestão portuguesas entre as melhores do mundo. Nova SBE ganha ouro em Portugal

Nova SBE, Católica Lisbon, FEP | PBS e ISEG são as portuguesas que surgem nos rankings do Financial Times.

O Financial Times (FT) colocou quatro escolas de gestão portuguesas entre as 50 melhores do mundo em executive education. Nova School of Business and Economics (Nova SBE), Católica Lisbon School of Business and Economics, Faculdade de Economia da Universidade do Porto (FEP) | Porto Business School (PBS) e ISEGLisbon School of Economics and Management são as instituições de ensino que surgem na lista. A Nova SBE ocupa o 22.ª lugar, destacando-se, pelo terceiro ano consecutivo, entre as escolas nacionais. Escala mais de 20 posições, tal como a Católica Lisbon. Também boas notícias para o ISEG, que entra nos rankings de executive education do FT.

“Desde que estabelecemos o desígnio de criar em Portugal uma escola de negócios global, assumimos uma estratégia ambiciosa de afirmação nos rankings do Financial Times, o gold standard do reconhecimento internacional”, afirma Daniel Traça, dean da Nova SBE.

“Os resultados de hoje, como os de outros rankings do FT, demonstram que a ambição global de uma escola pública em Portugal é possível, e que a estratégia que seguimos é a apropriada. Estamos seguros que este caminho nos levará ainda mais longe nos próximos anos”, acrescenta o responsável, em comunicado.

No ranking específico para os programas abertos, a Nova School of Business & Economics registou uma subida de 27 posições, alcançando o 20.º lugar sobretudo, graças às pontuações obtidas nos parâmetros de avaliação “Participantes internacionais” (7.ª posição mundial), e “Metodologias e materiais de ensino” (14.ª posição).

Por sua vez, no ranking específico para os programas customizados, a Nova SBE subiu 25 lugares, ocupando agora a 29.ª posição. Contudo, neste, a business school liderada por Daniel Traça é ultrapassada pela Católica, que figura na 19.ª posição, com especial destaque para as pontuações conseguidas nos critérios “Métodos e materiais de ensino” (19.º lugar mundial), e “Novas competências” (19.ª posição). No que toca aos programas abertos, a Católica surge no 44.º lugar.

De uma forma global, a Católica Lisbon surge no 27.º lugar, ascendendo ao Top 30 mundial em formação executiva. “A melhoria de 23 lugares no ranking mundial da Católica Lisbon é um resultado excelente que resulta da nossa forte aposta no talento dos nossos professores e na inovação pedagógica. A nossa equipa de formação executiva está de parabéns por estes resultado, que nos responsabiliza a servir cada vez melhor as necessidades de formação dos profissionais do futuro, acelerando a sua carreira e criando valor para as suas empresas”, refere Filipe Santos, dean da Católica Lisbon.

“É graças à forte ligação com os nossos clientes que conseguimos antecipar as suas necessidades e expectativas para o futuro. As empresas valorizam muito a experiência personalizada que têm connosco e, particularmente, as metodologias pedagógicas inovadoras, que têm impacto no futuro dos seus profissionais”, acrescenta Céline Abecassis-Moedas, diretora para a formação de executivos.

A terceira business school portuguesa a surgir no ranking global do FT é a Porto Business School, que ocupa o 40.º lugar nesta edição. Nos rankings que avaliam os programas abertos e programas customizados, a escola da cidade Invicta consegue os 53.º e 48º lugares, tendo subido 22 e dez posições, respetivamente. O parâmetro “Crescimento” foi o que lhe conferiu a melhor avaliação (11.ª lugar, a nível mundial).

“É um orgulho consolidar a nossa posição no ranking do Financial Times, somando resultados positivos que contribuem para posicionar Portugal como uma referência mundial na área da formação executiva. Sabemos que existem sempre novos desafios a alcançar e que cada ano nos presenteia com cada vez mais estímulos e motivação. Continuaremos, por isso sempre a inovar, com programas de excelência dando resposta às necessidades, também elas em mudança contínua, dos indivíduos e das empresas”, garante Ramon O’Callaghan, dean da Porto Business School.

Finalmente, o ISEG fecha o top nacional, no 41.º lugar, imediatamente a seguir à PBS, e partilhando a sua posição no ranking com a Lagos Business School, na Nigéria. Com especial destaque para o critério que avalia os “Participantes internacionais”, nos rankings específicos a escola de gestão com o campus no coração de Lisboa, entre a Lapa e a Assembleia da República, figura nas posições 54.ª (open rank) e 46.ª (custom rank). A notícia da presença nestas listas do FT não podiam chegar em melhor altura.

“No dia em que celebramos 111 anos temos esta excelente notícia. Mais um número um para o ISEG, com a entrada nos rankings de executive education do Financial Times”, começa por dizer Clara Raposo, dean do ISEGLisbon School of Economics and Management.

“Mais notável ainda é o reconhecimento duplo: quer da nossa formação à medida das empresas, quer dos programas abertos a quem se candidata de forma autónoma. Estou orgulhosa deste reconhecimento da nossa formação executiva, que é particularmente arrojada, no Top 50 de todo o mundo”, destaca.

HEC Paris é a melhor business school do mundo, segundo FT

O pódio mundial pertence, por sua vez, à HEC Paris, com campus em França e Catar. A business school francesa logrou o primeiro lugar em todos os rankings, incluindo os que avaliam os programas abertos e os programas customizados. Segue-se a IMD Business School, na Suíça, e a IESE Business School, com campus em Espanha, Estados Unidos, Alemanha e Brasil.

O ranking do Financial Times avalia a performance das escolas, tendo em conta metodologias de ensino, qualificação do corpo docente, contribuição para novas competências e aprendizagens, e o retorno do investimento dos participantes.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Há quatro escolas de gestão portuguesas entre as melhores do mundo. Nova SBE ganha ouro em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião