Empresa de tecnologia espacial fixa-se em aldeia da Pampilhosa da Serra

  • Lusa
  • 15 Julho 2022

Empresa de tecnologia espacial fixa-se na aldeia de xisto de Fajão, em Pampilhosa da Serra, contribuindo para o posicionamento turístico da localidade.

A empresa tecnológica espacial ATLAR vai fixar-se na aldeia de xisto de Fajão, no concelho da Pampilhosa da Serra, num edifício da junta de freguesia, anunciou aquele município do distrito de Coimbra.

A startup especializa-se “no desenvolvimento de plataformas de computação avançada e de ferramentas de monitorização inteligentes, relacionadas com a operação e controlo de radares e telescópios”, explicou a Câmara da Pampilhosa da Serra, em nota de imprensa enviada à agência Lusa.

O contrato de comodato entre a Junta de Freguesia de Fajão-Vidual e a ATLAR foi assinado esta quinta-feira e permite à empresa instalar-se num edifício onde outrora esteve a Associação Serra e Caça.

“Para além do caráter simbólico que tem, é também um marco estratégico naquilo que a Câmara Municipal tem feito ao longo de mais de uma década“, salientou o vereador Rui Simão, citado na nota de imprensa. O autarca recordou que a Pampilhosa da Serra tem-se posicionado “como um território com condições únicas naquilo que é a relação com as ciências do espaço e com a astronomia”.

Para Rui Simão, este foi mais um passo no sentido de aumentar a “reputação do território em termos de posicionamento turístico”, no que concerne à “observação do firmamento que se pode obter a partir da Pampilhosa da Serra”.

Escolheram este sítio por ser o melhor em Portugal para instalar este tipo de equipamentos, já que têm que estar privados de toda e qualquer poluição luminosa”, realçou.

De acordo com o município, a instalação da ATLAR vai permitir facilitar e expandir um trabalho técnico e científico já iniciado, a partir do Observatório Espacial de Pampilhosa da Serra, infraestrutura integrada na rede europeia e mundial de monitorização do espaço que está localizada na aldeia de Porto da Balsa, a poucos minutos de Fajão.

Citado na nota de imprensa, o cofundador da ATLAR Helder Ribeiro manifestou a satisfação por concretizar “um desejo antigo” e referiu que a instalação permite ter uma equipa perto de sensores de observação do espaço ali instalados.

O município realçou que a mobilização de profissionais especializados “poderá ter expressivos reflexos no desenvolvimento do concelho e particularmente na Freguesia de Fajão-Vidual“.

De acordo com o presidente da junta, Carlos Simões, os trabalhos da ATLAR, a partir do Observatório Espacial, já conduziram à criação de “pelo menos um posto de trabalho e irão criar ainda mais”.

Para além de servir como sede de empresa, o edifício irá permitir “alojar funcionários e técnicos” que diariamente vão estar no território.

O contrato de comodato prevê um período mínimo de utilização do edifício durante dois anos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Empresa de tecnologia espacial fixa-se em aldeia da Pampilhosa da Serra

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião