“Estamos a recusar encomendas muito grandes por falta de papel”, diz CEO da Inapapremium

Diogo Rezende admite dificuldades no abastecimento de papel e em “dar resposta a todas as solicitações”. CEO da Inapa diz que está a passar aos clientes o aumento médio de preços superior a 30%.

O fecho ou reconversão de fábricas de papel durante a pandemia, a persistência dos problemas logísticos a nível internacional e a guerra entre a Rússia e a Ucrânia estão a provocar “disrupções” no abastecimento de papel. Apesar da “capacidade de aprovisionamento e acordos estratégicos com diversos fornecedores”, o CEO da Inapa, que deixou de ter atividade industrial no ano 2000, quando vendeu os ativos industriais, admite “dificuldade para dar resposta a todas as solicitações dos clientes” e já falhou a resposta a algumas encomendas, sobretudo para “projetos específicos muito grandes”.Em entrevista ao ECO, Diogo Rezende, desde 2015 na liderança deste grupo de distribuição de papel que está a estudar a compra de empresas de embalagem e comunicação visual no estrangeiro-- e que no

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos