Em 2021, Larry Fink voltou a pedir mais investimento “verde”. BlackRock ainda aposta milhões no carvãopremium

O líder da BlackRock anunciou mudanças na estratégia de investimento, mas um ano depois ainda detinha investimentos em empresas de carvão. A análise da economista Sofia Santos.

Em 2021 a carta de Larry Fink, o co-fundador e CEO da Black Rock, aos CEOs das empresas em que investe,assumiu que a inclusão dos riscos climáticos está inserida no dever fiduciário da gestão de património financeiro de terceiros, e cujas poupanças se destinam, muitas delas, a planos de reforma. Este reconhecimento explícito de que a inclusão dos riscos climáticos, bem como a existência de uma estratégia de longo prazo assente num propósito fazem parte do dever fiduciário, constitui um marco importante, uma vez que desde 2005 este assunto é identificado pelo famoso relatório da Freshfieldspublicado em parceria com a UNEP FI, mas cuja sua aplicação tem demorado a ser assumida pela grande generalidade dos gestores de ativos. Este tema ganha uma importância particular na atualidade, uma

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos
  • Economista especializada em sustainable and climate finance