Diversidade e inclusão nas empresas

  • Ana Gaspar
  • 21 Outubro 2020

Inclusão é o conjunto de ações em que diferentes grupos ou indivíduos com distintas características são aceites, bem-vindos e tratados com igualdade.

Nos dias que correm, diversidade e inclusão são duas palavras que fazem a diferença para a competitividade de uma empresa. Diversidade liga-se a tópicos como o respeito e apreço pela diferença, seja ela nacionalidade, orientação sexual, idade, género, etnia, religião, incapacidade, nível de educação, estado civil ou posses. Inclusão é o conjunto de ações em que diferentes grupos ou indivíduos com distintas características são aceites, bem-vindos e tratados com igualdade.

Empresas em que a cultura interna e felicidade do colaborador fazem parte da lista de prioridades são, na minha opinião, empresas com uma probabilidade elevada de atingir os seus objetivos. Um ambiente seguro, confortável e justo são três pilares fulcrais para que o colaborador dê mais de si e, por isso, que a empresa chegue mais longe. Diversidade e inclusão não devem ser vistas apenas como uma ferramenta para cultura interna mas como visão estratégica. A médio longo prazo, um ambiente onde se valorizam os colaboradores traz grandes benefícios.

É, por isso, importante desmontar estereótipos negativos criados pelo desconhecimento. Muitas vezes criamos falsas ideias baseadas em comentários que ouvimos ou conteúdos que vemos e, inocentemente, damos por garantido que o recetor do nosso discurso ou opinião tem a mesma visão ou experiência que nós. Formação sobre diversidade e inclusão a todos os colaboradores torna-se importante. Tópicos sobre comunicação surgirão nestes cursos, sendo este um dos temas-chave. Se não comunicarmos corretamente, podemos expressar-nos mal sem ser essa a intenção.

Investir em políticas de antidiscriminação como campanhas internas, atividades ou até mesmo canais de denúncia são também ferramentas importantes de que as empresas devem valer-se. A utilização de linguagem inclusiva, como a neutralidade de género, é outro dos exemplos importantes a referir.

Para se identificar quais os tópicos a ser trabalhados, existe uma ação mágica de que todos os líderes empresariais se devem munir: ouvir. Uma empresa que dá voz aos seus colaboradores e apoia o seu crescimento profissional, cria um ambiente em que as pessoas não têm receio de partilhar opiniões e identificar problemas. Este estilo de liderança caracteriza-se como colaborativa, uma postura fundamental para que diversidade e inclusão sejam valores da empresa. Mostrar abertura para ouvir, orientar, inspirar e apoiar.

*Ana Gaspar é embaixadora da Volkswagen Digital Solutions

  • Ana Gaspar

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Diversidade e inclusão nas empresas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião