Bazuca já tem “buraco” de 1.600 milhões de euros

  • ECO
  • 16 Agosto 2021

As candidaturas ao PRR para a habitação de famílias com carências já ultrapassam os montantes previstos. Executivo vai ter de encontrar "outras fontes de financiamento", diz Carlos Carreiras.

As candidaturas ao Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para a área da habitação já ultrapassam o montante previsto, existindo um “buraco” de 1.600 milhões de euros, avança o Correio da Manhã (acesso pago).

O PRR prevê apoiar, até 2026, 26 mil famílias com carências habitacionais, mas os acordos que o Governo assinou com as autarquias já abrangem já mais de 28 mil famílias. Assim, se o Executivo comparticipar a 100% todas as casas para as famílias que precisam de apoio, terá de avançar com investimento total de, pelo menos, 1.588 milhões, acima dos 700 milhões inicialmente previstos para este fim.

O Correio da Manhã acrescenta também que, segundo as suas contas, quando estiverem celebrados os acordos com todos os municípios o montante de investimento deverá rondar os 2.800 milhões de euros. E como o PRR tem uma dotação de 1.211 milhões, prevê-se que haja um “buraco” de 1.600 milhões de euros. Para o presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, “o Governo vai ter de encontrar outras fontes de financiamento, porque o que está previsto não vai chegar e serão sempre os contribuintes a pagar”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Bazuca já tem “buraco” de 1.600 milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião