BRANDS' F. EUROPEUS É agora ou nunca: como tornar uma empresa mais competitiva?

  • Fundos Europeus + PHC Software
  • 2 Agosto 2021

A evolução digital das empresas é um investimento vital para se conseguirem adaptar à realidade de hoje e dar resposta aos desafios que terão de enfrentar para se tornarem ainda mais competivas.

Se há dez anos a digitalização das empresas era uma opção que poderia ser equacionada, hoje em dia já não restam dúvidas de que uma organização terá poucas possibilidades para implementar novos modelos de negócio se não evoluir digitalmente.

A transição para o digital ganha novo fôlego com a chegada dos tão aguardados fundos europeus. São 650 milhões de euros destinados à digitalização das PME nos vários programas disponíveis em Portugal – SI Inovação Produtiva, Plano de Desenvolvimento Rural, Linha de Qualificação de Oferta, Portugal 2030 e Plano de Recuperação e Resiliência. Em relação ao PRR, já falta pouco para que Portugal receba a primeira tranche, no valor de 2,2 mil milhões de euros, mas a expectativa é de chegar ao final de 2021 com um total de 80 mil milhões de euros de obrigações europeias de longo prazo emitidas.

Os fundos europeus são uma oportunidade que as empresas podem aproveitar para garantirem a sua evolução digital através de ferramentas que permitem a adaptação à realidade atual e, assim, conseguirem dar resposta aos desafios que irão torná-las ainda mais competitivas

Definir a digitalização do negócio e assegurar a sua competitividade

Nos últimos tempos, o mundo tem assistido a uma evolução digital sem precedentes, que aconteceu como consequência direta da COVID-19 e da necessidade do trabalho remoto para garantir a segurança de todos.

No caso das empresas que anteriormente já trabalhavam com um software de gestão, esta mudança foi rápida. Porém, aquelas que tiveram de alterar os modelos de negócio e conquistar novos clientes foram obrigadas a dar uma “volta de 180 graus” de forma a conseguirem fazer frente à nova realidade.

"A tecnologia está disponível para todos mas não chega para nos diferenciarmos. Não só é necessário que as pessoas pensem digital como também que usem a sua criatividade para que, através da colaboração, possam solucionar as complexidades que este novo ecossistema coloca a todos os gestores.”

Rogério Canhoto

Chief Business Officer da PHC

A PHC é uma multinacional portuguesa dedicada ao desenvolvimento deste tipo de software e para o seu Chief Business Officer (CBO), Rogério Canhoto, são cinco os desafios que os gestores terão de enfrentar de forma a garantirem a digitalização das suas empresas:

  1. O digital no centro da mudança. “Há quem diga que avançámos em nove meses aquilo que levaríamos nove anos a fazer. A nova realidade digital faz hoje parte do nosso dia-a-dia e sabemos que muitas das mudanças vieram para ficar. Muito do que mudou não voltará a ser igual e irá permanecer no futuro”, referiu Rogério Canhoto, enaltecendo a necessidade de todas as empresas se adaptarem ao digital para conseguirem continuar a marcar presença no mercado.
  2. Assumir o “novo” normal. Neste contexto, tem de existir, inevitavelmente, a adaptação a uma realidade que não é temporária mas sim definitiva. Isto porque as vantagens que a tecnologia permitiu durante o período pandémico foram tantas que, independentemente de haver vírus ou não, existem determinados aspetos que continuarão a ser facilitados pelo digital. A cloud foi a estratégia que possibilitou todas estas vantagens. De acordo com o CBO da PHC, “permitiu encontrar novas formas de codificar, colaborar e enviar software com mais rapidez”, com a vantagem de poder fazer tudo isto acontecer em tempo real, em qualquer parte do mundo.
  3. Superar a “dinâmica dos emigrantes digitais”. Os “emigrantes digitais” construíram os seus negócios ao longo dos últimos 20, 30 ou 40 anos, quando ainda nem se falava de digital. Para continuarem competitivos, têm agora de garantir uma adaptação mais rápida, e só com as competências certas irão consegui-lo”, ressalva o responsável da PHC. São muitas as organizações que não têm uma estratégia digital preparada nem sabem como defini-la. Para Rogério Canhoto, “as empresas devem ser pautadas pela evolução digital do seu negócio e, para isso, é necessário que os parceiros tecnológicos expliquem o que devem fazer e como podem fazê-lo”.
  4. Aumentar a produtividade. A aposta em tecnologia permite aumentar, também, a produtividade. O estudo “Futuro do Trabalho: De Remoto a Híbrido“, do Capgemini Research Institute, comprovou essa ligação ao concluir que 63% das empresas globais atingiram um aumento na produtividade dos seus funcionários durante o terceiro trimestre de 2020, fruto da gestão virtual do trabalho. É vital para o futuro compreender a desmaterialização e digitalização de processos de forma a aumentar a eficácia. A pressão para a máxima produtividade é também um desafio que as empresas devem assumir, integrado numa nova realidade que trouxe consigo uma forma diferente de trabalhar, com grande parte das equipas em trabalho remoto.
  5. Apostar na criatividade tecnológica. Apesar das vantagens que os sistemas tecnológicos trazem ao dia-a-dia das empresas e dos seus colaboradores, o CBO da PHC Software relembra: “a tecnologia está disponível para todos mas não chega para nos diferenciarmos. Não só é necessário que as pessoas pensem digital como também que usem a sua criatividade para que, através da colaboração, possam solucionar as complexidades que este novo ecossistema coloca a todos os gestores”. O mundo vive uma transformação profunda que nos obriga a repensar o que aprendemos e a questionar tudo aquilo que anteriormente era dado como adquirido. É necessário compreender quais são os modelos de negócios emergentes e aquilo que os caracteriza.
A PHC disponibiliza dois produtos que ajudam a gerir pequenas e médias empresas: o PHC GO e o PHC CS.

DreamMedia: uma história de sucesso na digitalização do negócio

Para as empresas que já apostavam nesta nova realidade digital, muito impulsionada pela pandemia, esta evolução foi mais fácil. Há mesmo casos de sucesso que tornam evidente o quão vantajoso pode ser o investimento num software que assegure a agilização dos processos e garanta a rentabilidade da organização.

"Sentimos que a integração deste software de gestão permite profissionalizar a nossa atividade, na medida em que interligamos todos os departamentos entre si”

Ricardo Bastos

CEO da DreamMedia

A DreamMedia foi uma das empresas que decidiu, em 2018, investir na digitalização do seu negócio. Líder nacional em outdoors e estratégias de publicidade exterior com impacto, recorreu ao software de gestão da PHC Software.

Criada há mais de 15 anos em Portugal, está presente em mais de 150 municípios e tem um volume de negócios de oito milhões de euros por ano. A prioridade da empresa? Conseguir assegurar uma boa gestão interna e externa de todas as suas áreas, garantindo o controlo de todos os trabalhos realizados em cada uma das diferentes geografias.

Atualmente, cerca de 70% da DreamMedia já trabalha com o software da PHC, mas para Ricardo Bastos, CEO da empresa, o objetivo é ter 100% da equipa a operar com esta solução, que contempla inúmeras vantagens, entre elas, a cooperação: “Sentimos que a integração deste software de gestão permite profissionalizar a nossa atividade, na medida em que interligamos todos os departamentos entre si”, reconhece.

Para além de permitir um melhor desempenho nos trabalhos administrativos, na sua opinião, o software da PHC “também é muito importante para a vertente operacional”, uma vez que, com ele, é possível planear e controlar a execução daquilo que é feito na rua todos os dias.

Andrea Figueiral, Business Developer & Partner Winsig, destacou ainda o exemplo da gestão de pagamentos e de contratos, onde a solução da PHC Software permitiu que a empresa usufruísse de inúmeros benefícios: “O backoffice, ou seja, toda a gestão de contratos foi automatizada, tanto com débitos diretos como com referências multibanco, ou seja, foi possível automatizar a totalidade do processo financeiro e de gestão documental de todos os contratos”, conta.

Veja o vídeo onde é possível verificar de que forma é que o investimento da DreamMedia no software de gestão da PHC permitiu que a empresa fosse hoje considerada um caso de sucesso:

O facto de simplificar os processos online, deixando de ser obrigatório recorrer a um estabelecimento físico, bem como a necessidade de incluir ferramentas colaborativas, são algumas das comodidades que as soluções PHC podem trazer às empresas, tal como aconteceu com a DreamMedia. A aposta em tecnologia de ponta e no software de gestão ideal fez com que responsabilidades como pagamentos e contratos fossem agilizados pelo digital.

Mais valor para o negócio e também para os clientes

O crescimento digital é a grande oportunidade para que os gestores consigam implementar boas práticas de gestão adaptadas à realidade da sua empresa e dos seus clientes, mas não só. Esta crescente digitalização permite ainda que o gestor possa investir na sua cultura organizacional, tornando-a mais próxima dos colaboradores e consciente dos elementos que a compõem – como a sustentabilidade, por exemplo.

É fundamental apostar em novos mecanismos que assegurem a criação de valor numa sociedade digital onde o consumidor está mais informado e é mais exigente. Só assim é possível assegurar a competitividade das empresas, preparadas para darem uma resposta mais eficaz face às atuais exigências.

Mesmo nos casos em que o trabalho se mantém presencial, o software de gestão está preparado para assumir funções que, anteriormente, estavam destinadas aos funcionários. Este facto permite uma maior disponibilidade para desempenharem outras tarefas e, consequentemente, facilitarem o aumento da produtividade.

É necessário que o software se adapte às especificidades de cada empresa. O CEO da DreamMedia admite que foi precisamente a adaptabilidade do software da PHC que fez dele a melhor opção, por ser “uma ferramenta muito adaptável às necessidades específicas de cada negócio”, reforça.

Um facto que levou Ricardo Bastos a admitir que hoje não consegue imaginar a gestão da empresa sem este apoio: “Agora questionamos como é que vivemos tantos anos sem uma ferramenta desta natureza. Implementámos tarde, mas estamos muito satisfeitos”, assume.

Saiba como a DreamMedia se tornou numa história de sucesso na digitalização do seu negócio.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

É agora ou nunca: como tornar uma empresa mais competitiva?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião