“Presidente da República terá sempre motivos para se preocupar até executarmos o PRR, o PT2020 e o PT2030”, diz ministra da Coesãopremium

Nos fundos europeus há uma "quase esquizofrenia". "Por um lado pedem flexibilidade, acessibilidade, desburocratização e, por outro, fiscalização e controlo" que pressupõem mais burocracia.

A ministra da Coesão Territorial reconhece que o Presidente da República tem sempre razões para estar preocupado com os fundos europeusaté que os diferentes programas estejam executados na totalidade, seja o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), o atual quadro comunitário de apoio, o Portugal 2020, mas também o próximo, o Portugal 2030. Marcelo Rebelo de Sousa chamou os partidos com assento parlamentar a Belém para falar do Orçamento do Estado, mas nas reuniões manifestou algumas preocupações sobre o andamento do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). Uma preocupação que Ana Abrunhosa garante ser partilhada pelo primeiro-ministro e por todos os ministros com responsabilidade na execução. A ministra, que agora tem também a tutela da descentralização lamenta, contudo, que ao nível

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos