Tábua vai instalar cinco unidades de receção experimental de biomassa

  • Lusa
  • 20 Junho 2022

Tábua vai instalar cinco unidades de receção experimental de biomassa e de resíduos vegetais, em igual número de freguesias, assim como outra unidade central no concelho. Para

A Câmara de Tábua acordou com o grupo Altri a instalação, no concelho, de cinco unidades de receção experimental de biomassa e resíduos vegetais, complementados com uma central na vila de Tábua, informou a autarquia.

“Estamos a criar mini-parques ou locais que, numa fase inicial, serão cinco unidades de receção experimental de biomassa” e que, “depois, tenham uma [unidade] global em Tábua”, disse o presidente da Câmara Municipal de Tábua, Ricardo Cruz.

As cinco unidades de receção experimental de biomassa e resíduos vegetais vão ser instaladas em cinco freguesias do concelho, sendo que, a ideia “é ter uma [unidade] por junta de freguesia”, explicitou o autarca.

Questionado pela Lusa sobre quando estarão em funcionamento as cinco unidades, Ricardo Cruz estima que isso possa acontecer ainda durante o mês de setembro deste ano.

Com esta iniciativa, as pessoas que, por exemplo, cortam videiras e outros tipos de resíduos, passam a dispor de um lugar para os colocar, sem terem de abandonar esses resíduos no meio da floresta.

As pessoas colocavam esses resíduos no “caixote do lixo ou noutros sítios” e deles “não se tirava proveito”. Mas assim, “numa lógica de proximidade, poderão colocar [esses resíduos] nestes míni-parques que estarão espalhados pelas freguesias”, sublinhou.

O grupo Altri, no âmbito do protocolo estabelecido com a Câmara, terá a responsabilidade de assegurar a recolha dos resíduos dessas unidades e o seu transporte para “uma unidade central em Tábua e, daí, a recolha de toda a biomassa” para, depois, seguir para “tratamento, promovendo a gestão florestal ativa”.

Assim, o concelho de Tábua evita que os resíduos fiquem espalhados pelo território ou “sejam colocados no lixo comum”, frisou.

O protocolo sobre este projeto entre a Câmara Municipal de Tábua, no interior do distrito de Coimbra, e o grupo Altri foi formalizado na semana passada.

Em suma, esta iniciativa tem como objetivo “apoiar e incentivar as boas práticas de gestão do território florestal no concelho de Tábua que permitam aumentar a produtividade florestal e, simultaneamente, reduzir os riscos de incêndios e potenciar a valorização energética através do aproveitamento da biomassa florestal”.

Neste momento, está a ser feito uma análise de identificação dos locais onde serão instaladas as cinco unidades de receção experimental de biomassa e resíduos vegetais.

Segundo a autarquia, associado a este protocolo, está também a dinamização de “iniciativas de reforço de competências profissionais aos agentes do setor, bem como a criação de sinergias através de uma plataforma de colaboração no âmbito da atividade florestal, ajudando a consolidar a adoção de boas práticas e a sua integração numa política integrada de desenvolvimento rural, que visa melhorar os processos de gestão florestal ativa, numa lógica de rentabilização económica e de preservação e valorização ambiental do território”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Tábua vai instalar cinco unidades de receção experimental de biomassa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião