Empresas de capital de risco pedem a Costa Silva para acelerar aplicação de verbas do PRR

  • Lusa
  • 5 Abril 2022

A APCRI quer que "os programas de mobilização de capital privado na economia portuguesa ao lado das verbas europeias do PRR, lançados pelo anterior governo, sejam acelerados e colocados no terreno".

A Associação Portuguesa de Capital de Risco (APCRI) apelou esta terça-feira ao novo ministro da Economia e do Mar, António Costa Silva, para que a aplicação das verbas do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) seja acelerada.

Em comunicado, a APCRI afirma que já pediu uma audiência ao ministro da Economia e do Mar, defendendo que é necessário relançar os grupos de trabalho entre a associação e o Governo “para desenhar soluções que aumentem a capitalização das empresas”.

“A APCRI apela ao novo ministro da Economia e do Mar, António Costa Silva, para que os programas de mobilização de capital privado na economia portuguesa ao lado das verbas europeias do PRR, lançados pelo anterior governo, sejam acelerados e colocados no terreno“, pode ler-se no documento.

Segundo a associação, “a indefinição política dos últimos meses atrasou o funcionamento em pleno de instrumentos do Banco Português de Fomento para consolidar e regenerar PME portuguesas que precisam de capital e de melhor gestão para ganharem escala e concorrerem no mercado global”.

O presidente da APCRI, Luís Santos, refere que a APCRI “assumiu um compromisso de ‘cooperação estreita’ com o Ministério da Economia na anterior legislatura” com vista a aumentar a capitalização das empresas através das verbas do PRR.

Essa cooperação “incluía a participação da APCRI em grupos de trabalho para criar incentivos à participação de investidores em fundos de capital de risco portugueses e à criação de fundos focados em Portugal”, afirma Luís Santos Carvalho, citado no comunicado. “Esse trabalho foi interrompido e, agora, é necessário relançá-lo, reforça o líder da APCRI.

A associação que representa os setores de private equity, venture capital, capital de risco e capital semente em Portugal quer também apresentar ao novo titular da pasta da Economia e do Mar o estudo “Análise da Indústria do Capital de Risco em Portugal” concluído pelo ISCTE em outubro.

Segundo a APCRI, o estudo “mostra a capacidade que o setor tem de mobilizar capital privado para investir em empresas, atingindo notáveis taxas de rentabilidade e um alto nível de pagamento de impostos”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Empresas de capital de risco pedem a Costa Silva para acelerar aplicação de verbas do PRR

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião