Capital de risco, em risco de diversidade?premium

Um trio feminino islandês levantou o maior fundo de capital de risco de sempre no país. A notícia vale por si, revela fossos e, sobretudo, faz pensar em empatia.

O título diz quase tudo. E é título, sobretudo, por ser raro: "Liderança 100% feminina levanta o maior fundo de sempre de capital de risco na Islândia, o Crowberry Capital". Pois bem: um trio feminino levantou um dos maiores fundos liderados por mulheres na Europa, e o maior fundo de sempre de capital de risco na Islândia. As fundadoras do Crowberry Capital, Hekla Arnardottir, Helga Valfells e Jenny Ruth Hrafnsdottir, são notícia localmente, pelo valor do fundo (90 milhões de dólares para investir em rondas seede early-stage, que pode ser alargado para mais 40 milhões) mas têm valor notícia por ser raro encontrar este tipo de histórias em todo o mundo. É que, se considerarmos o capital de risco pela maioria do género que o representa, ele seria quase 95% masculino, segundo dados de um

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos