Empresas

O banco liderado por Miguel Maya tem intenção de começar a devolver aos trabalhadores o dinheiro retido em cortes salariais, mas sem pôr em causa a solidez do BCP.