Interessados na Comporta têm de apresentar propostas até novembro

  • ECO
  • 22 Setembro 2016

À venda está a participação de 57% que a Rioforte detinha no fundo de investimento imobiliário da Comporta.

As propostas de compra do Herdade da Comporta FEIIF, fundo de investimento imobiliário que gere os projetos turísticos e imobiliários daquela zona e que pertencia ao antigo Grupo Espírito Santo (GES), terão de ser entregues até ao início de novembro. A informação é avançada pelo Jornal de Negócios, que cita o calendário oficial divulgado pelos curadores de insolvência da Rioforte.

Segundo o documento publicado no site das insolvências de empresas, “as ofertas não vinculativas devem ser submetidas durante a primeira metade de novembro de 2016” e “espera-se que os contactos com potencias investidores comecem antes do final de setembro”.

Para já, lembra o Negócios, o processo já está em andamento, com a assessoria do Haitong Bank e da PLMJ.

O que está a ser vendido é apenas a participação de 57% que a Rioforte detinha no fundo da Comporta. Segundo o Negócios, há aqui uma alteração: é que, até agora, em paralelo com esta participação, estava também a ser vendida a participação da sociedade do GES na Herdade da Comporta – Actividades Agro Silvícolas e Turísticas, empresa responsável pela área agrícola da herdade.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Interessados na Comporta têm de apresentar propostas até novembro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião