Ex-candidata à ONU, Kristalina Georgieva vai ser CEO do Banco Mundial

  • Marta Santos Silva
  • 28 Outubro 2016

Kristalina Georgieva, que entrou como concorrente a Guterres para secretária-geral da ONU a meio da corrida, voltara entretanto para a Comissão Europeia.

Kristalina Georgieva vai ser diretora-executiva, ou CEO, do Banco Mundial, anunciou esta sexta-feira o presidente do banco, Jim Yong Kim.

Georgieva ganhou notoriedade em Portugal por ter sido a rival de última hora de António Guterres para o posto de secretário-geral da Organização das Nações Unidas. Derrotada, retomou o seu lugar de vice-presidente da Comissão Europeia, de onde vai voltar a sair para iniciar o seu mandato no Banco Mundial em janeiro.

“Kristalina é uma líder com um reconhecimento a nível global e um percurso comprovado na melhoria das vidas dos mais necessitados”, disse Jim Yong Kim, que foi reconduzido no mês passado para cumprir mais um mandato de cinco anos à frente da instituição, citado num comunicado da instituição.

“Enquanto comissária da ajuda humanitária, Kristalina estabeleceu-se como uma defensora global do conceito da resiliência. Ajudar os países a gerir choques e ameaças globais está na raiz dos esforços do Banco Mundial para acabar com a pobreza e aumentar a prosperidade comum”, acrescentou Kim.

A comissária europeia búlgara já tinha estado em vários postos no Banco Mundial entre 1993 e 2010, incluindo o de vice-presidente.

Georgieva vai substituir a indonésia Sri Mulyani Indrawati, que foi nomeada em julho ministra das Finanças do seu país.

Editado por Mónica Silvares.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ex-candidata à ONU, Kristalina Georgieva vai ser CEO do Banco Mundial

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião