Voo espacial Humano Extremo: como chegar a Marte?

  • ECO + National Geographic
  • 3 Dezembro 2016

O astronauta Jeff Williams da NASA reflecte sobre a sua carreira no espaço - e o que seria necessário para levar os humanos para Marte

Quando aterrou num monte de pó na estepe do Cazaquistão a 6 de setembro, Jeff Williams ultrapassou o recorde para o maior tempo de permanência no espaço de um astronauta da NASA. Williams viajava a bordo da Estação Espacial Internacional, ajudando a atualizar o laboratório em órbita com um habitat inflável, uma estação de docking e uma câmara de alta definição.
A viagem de 172 dias, a sua quarta viagem ao espaço, aumentou o seu número total de dias a viver e trabalhar em órbita para 534. Anteriormente, o famosos astronauta gémeo Scott Kelly tive direitos de se gabar alcançando 520 dias. (veja 15 fantásticas fotos do ano de Scott Kelly no espaço.)

“Ver os detalhes da Terra a partir desse ponto de vista e ver a Terra é algo unicamente adequado para a vida, é uma experiência incrível”, disse Williams ao National Geographic durante uma entrevista no Centro Espacial Johnson em Houston pouco depois do seu regresso à Terra. (Veja a entrevista completa em cima.)

William detém o título dos EUA por uma margem relativamente estreita: brevemente Peggy Whitson pode vencê-lo com mais de 560 gritantes dias cumulativos. Além do mais, os cosmonautas russos permanecem campeões mundiais em termos de duração de voo especial: Gennady Padalka passou 879 dias no espaço, durante cinco missões para a ISS (Estação Espacial Internacional) e o seu antecessor, a estação especial russa Mir.

Como parte da sua missão de bater o recorde, o astronauta Jeff Williams instalou um novo adaptador de docking na Estação Espacial Internacional durante uma caminhada especial de seis horas. (ESQUERDA) FOTOGRAFIA DA NASA
Como parte da sua missão de bater o recorde, o astronauta Jeff Williams instalou um novo adaptador de docking na Estação Espacial Internacional durante uma caminhada especial de seis horas.
(ESQUERDA) FOTOGRAFIA DA NASA

 

Estes tipos de marcos em voos espaciais são altamente interessantes para a NASA tendo em conta que a agência explora os desafios de enviar humanos para muito, muito longe de casa – como para Marte. De acordo com a visão atual da NASA, a missão ao planeta vermelho pode durar até 1100 dias, pelo que é importante perceber como os humanos reagem a baixa gravidade prolongada, radiação cósmica e alojamento confinado (entre outras coisas).

Atualmente, o nosso melhor representante é observar como os astronautas experientes estão a passar depois de longas horas na órbita da Terra e de como as missões espaciais simuladas afetam os voluntários restritos à Terra, tais como os participantes de Hi-SEAS, uma missão de um ano a Marte simulada que recentemente foi concluída no Havai. (Encontre mais acerca do que foi passar um ano isolado numa missão dura com ambiente parecido a Marte.)
Aqui estão alguns dos recordes de voos espaciais humanos mais extremos e de como acumulam as necessidades de uma missão a Marte.

VOO ESPACIAL ÚNICO MAIS LONGO

Desde 1995, o cosmonauta Valeri Polyakov deteve o recorde do maior tempo que algum humano passou consecutivamente no espaço. Ele viveu e trabalhou a bordo da estação especial russa Mir de Janeiro de 1994 a Março de 1995, acumulando 437 dias numa missão. De acordo com a revista Wired, Polyakov afirma que se voluntariou para permanecer em órbita durante tanto tempo para provar que os humanos conseguem aguentar períodos longos com gravidade zero e são capazes de gerir uma viagem a Marte. A Aventura de quebrar o recorde parece não tê-lo deixado pior que o desgaste – aos 74 anos, Polyakov ainda é um membro ativo da comunidade biomédica especial.

DISTÂNCIA MAIS LONGA VIAJADA A PARTIR DA TERRA

Os astronautas Jim Lovell, Fred Haise e Jack Swigert são provavelmente os mais lembrados pelo seu projétil heroico e talvez angustiante, à volta da lua durante a Apollo 13. Enquanto o trio pode estar desapontado por nunca ter conseguido chegar à superfície lunar, podem gabar-se de ter alcançado algo diferente. A manobra que trouxe em segurança a sua nave espacial problemática de volta à Terra, também os levou na viagem mais distante que algum humano alguma vez fez. Em Abril de 1970, os três astronautas encontravam-se a 248.655 milhas do nosso planeta. Ainda assim, Martian ambiciona fazer uma viagem de cerca de 250 milhões de milhas.

A nave especial Soyuz deriva para a Terra transportando Jeff Williams e dois cosmonautas russos depois de uma missão de 172 dias na Estação Espacial Internacional. FOTOGRAFIA DE BILL INGALLS, NASA, GETTY IMAGES
A nave especial Soyuz deriva para a Terra transportando Jeff Williams e dois cosmonautas russos depois de uma missão de 172 dias na Estação Espacial Internacional.
FOTOGRAFIA DE BILL INGALLS, NASA, GETTY IMAGES

A MAIS LONGA CAMINHADA ESPECIAL

Trabalhar no espaço significa fazer uma viagem ocasional para reparar ou atualizar o veículo ou habitat e isso significa vestir o que é atualmente um fato espacial pressurizado volumoso. Em Março de 2001, os astronautas da NASA Jim Voss e Susan Helms efetuaram a mais longa caminhada espacial única alguma vez registada, passando oito horas e 56 minutos fora da ISS. A tripulação de Marte também terá de andar fora do módulo de habitat relativamente seguro durante períodos de tempo prolongados, pelo que a NASA está a trabalhar em várias formas de melhorar os designs dos fatos espaciais, assim como torná-los mais flexíveis e que sejam mais fáceis de vestir e despir.

MAIOR TEMPO NUM MUNDO DIFERENTE

Em 1972, Harrison Schmitt e Eugene Cernan passaram mais de três dias a viver e trabalhar na lua, o maior tempo que alguém já passou na superfície de um corpo rochoso sem ser a Terra. Dadas a distância e tempo envolvidos, contudo, a presença humana em Marte duraria muito mais com alguns conceitos de missão que exigem estadias de meses a anos.
(Veja “Isto é como é passar um ano em Marte”.)

Por Victoria Jaggard e Nadia Drake da National Geographic

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Voo espacial Humano Extremo: como chegar a Marte?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião