RSI: veja como aumenta a prestação

  • Cristina Oliveira da Silva
  • 5 Janeiro 2017

A prestação deste mês já vai ser calculada de acordo com o novo valor de referência. Passa para 183,84 euros, contra 180,99 euros em 2016.

O Rendimento Social de Inserção (RSI) vai aumentar já este mês. O Governo decidiu repor mais 25% do corte operado pelo anterior Executivo e a mudança também vai abranger atuais beneficiários, o que implica o recálculo da prestação. Ainda assim, a Segurança Social vai pagar já em janeiro o apoio atualizado, confirmou já o Governo.

“O pagamento de janeiro [do RSI] já incorpora o novo valor de referência”, afirmou a secretária de Estado da Segurança Social esta quarta-feira, na conferência de imprensa que serviu para apresentar a política de rendimentos para 2017.

O RSI é uma prestação sujeita a condição de recursos. O valor não é fixo: varia consoante a dimensão e os rendimentos da família. Desde logo, estão excluídos agregados com património mobiliário e bens móveis sujeitos a registo superiores a 25,3 mil euros.

Em 2017, o valor de referência do RSI passa para 183,84 euros, contra 180,99 euros em 2016. Quando chega a altura de calcular o apoio, este tem em conta 100% do valor de referência no caso do primeiro adulto, 70% no caso dos restantes adultos e 50% no caso de menores.

A prestação sobe 1,6% em janeiro. Veja aqui alguns exemplos, no caso de famílias sem rendimentos:

adultos-e-criancas-01

Se estes agregados tiverem rendimentos, o valor do RSI é ajustado. Corresponde então à diferença entre o RSI a atribuir em função da composição do agregado familiar e o rendimento da família, se este for mais baixo. Se for mais elevado, não há direito à prestação.

São considerados diversos tipos de rendimentos, mas no caso de salários, por exemplo, só conta 80% da remuneração, tendo em conta o duodécimo referente aos subsídios de férias e de natal (mesmo que estas prestações não sejam pagas de forma faseada) e depois de retiradas as contribuições para a Segurança Social. Olhando para o salário mínimo de 557 euros, por exemplo, a Segurança Social considera 578,35 euros de rendimentos de trabalho.

Assim, uma família composta por dois adultos e três crianças que viva com um salário de 557 euros terá direito a RSI no valor de 9,90 euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

RSI: veja como aumenta a prestação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião