Lacão defende Sócrates e ataca Cavaco

  • ECO
  • 24 Fevereiro 2017

O ex-ministro do Governo de José Sócrates veio esta sexta-feira a público defender o Executivo de então face às críticas de Cavaco.

O ministro dos Assuntos Parlamentares do Governo de Sócrates, Jorge Lacão, acusa o ex-Presidente da República de querer “vexar o primeiro-ministro” de então. Em causa estão as revelações feitas no livro “Quinta-Feira e Outros Dias”, lançado por Cavaco Silva, e a entrevista que deu à RTP onde o ex-Chefe de Estado culpa José Sócrates pelo resgate. Para Jorge Lacão este momento é uma “devassa de um ex-Presidente da República”, afirma esta sexta-feira ao Público.

São dois os assuntos em que Lacão dá justificações para contrapor a versão dos factos de Cavaco Silva: Orçamento do Estado para 2011 e o pedido de ajuda externa, casos em que esteve envolvido enquanto responsável pelas funções que tinha no Governo em articulação com a Assembleia da República. “Há três pontos em que estive envolvido e estou capacitado para avaliar o grau de fidelidade e lisura com que o tema é tratado”, diz ao jornal diário.

Sobre o pedido de ajuda externa, Jorge Lacão garante que foi ele próprio que consertou o anúncio com Sócrates e o comunicou a Teixeira dos Santos, então ministro das Finanças. “Alguém acreditaria que o ministro dos Assuntos Parlamentares, numa declaração política no Parlamento em nome do Governo, se referisse à disponibilidade deste para poder suscitar a ajuda externa, se para tal não tivesse o aval do primeiro-ministro?”, questiona em declarações ao Público.

Há três pontos em que estive envolvido e estou capacitado para avaliar o grau de fidelidade e lisura com que o tema é tratado.

Jorge Lacão

Ex-ministro dos Assuntos Parlamentares

Sobre o OE2011, Lacão diz que “tornou-se evidente que o Conselho de Estado estava a ser o cenário montado para que Cavaco Silva fosse o protagonista do acordo”. O ex-Presidente acusa Sócrates de dar informação à comunicação social antes de o acordo ter sido atingido. Em resposta, Jorge Lacão refere que Eduardo Catroga e o PSD estavam combinados com Cavaco para que este fosse “o único promotor do entendimento”. “Construir um cenário para, mais uma vez, vexar o primeiro-ministro neste episódio, só pode ser visto como uma manifestação de pura hipocrisia”, afirma, referindo-se à fotografia de Catroga que regista as horas do acordo, contraditório com o que tinha sido público.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lacão defende Sócrates e ataca Cavaco

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião