Qualificar profissionais para os desafios da indústria 4.0

  • ECO + EWF
  • 14 Novembro 2017

A transformação digital está a mudar as organizações industriais modernas, sendo a qualificação dos profissionais um dos seus principais desafios. As tecnologias de ligação são um desses exemplos.

Atravessamos um momento de transformação da indústria europeia, um que irá mudar a forma como vemos um setor que habitualmente ainda associamos às imagens com que crescemos, de fábricas com inúmeros operários, em linhas de montagem ruidosas e cinzentas. Esta já não é a realidade atual. De forma crescente, as empresas têm operadores a efetuar os processos tradicionais e outros que gerem robots, máquinas inteiramente automatizadas e processos de produção. Esta alteração implica que as organizações industriais terão de estar habilitadas a operar em ambientes que integram sistemas de informação complexos e novas tecnologias de produção, a chamada Indústria 4.0. Esta mudança é essencial para manter a competitividade da indústria, a qual tem em Portugal uma forte representação, com a indústria metalúrgica e metalomecânica a representar um dos pilares do recente ímpeto exportador do País. Esta alteração da forma como se produz implicará também uma forte pressão ao nível da qualificação dos profissionais que têm como responsabilidade a operacionalização desta mudança, uma vez que os processos tecnológicos associados são mais complexos e avançados.

Assegurar que a indústria detém os profissionais qualificados em tecnologias de ligação para as suas necessidades é o objetivo da European Federation for Welding, Joining and Cutting (EWF) desde o seu início, em 1992. Nessa altura, os países membros da União Europeia nos quais eram ministrados cursos para profissionais que executassem tarefas associadas a estas tecnologias deram início a um processo que visava uma definição, aceite por todos, dos conteúdos e da implementação dos cursos, permitindo que a mesma qualificação fosse atribuída em qualquer país, seja ao nível da empresa seja ao nível do profissional que executa o trabalho, nascendo aí o Sistema Harmonizado de Qualificações atualmente utilizado. E que, desde essa época, tem crescido de forma exponencial, em áreas abrangidas e sofisticação, respondendo de forma rápida à introdução de equipamentos e métodos cada vez mais complexos para a ligação de materiais, idênticos ou distintos, seja para torres eólicas, construção automóvel, aeroespacial, pontes, edifícios, máquinas industriais e, mais recentemente, a impressão 3D.

A importância do setor das tecnologias de ligação, que inclui a soldadura, pode ser facilmente avaliada pelos números de um estudo de 2013 conduzido pelo EWF e pela DVS, Associação Alemã do setor. Este estudo destaca os mais de 1,2 milhões de pessoas que, na EU28, trabalham nesta área. Destes 1,2 milhões, 647,000 eram operadores, 331,300 coordenadores, investigadores, designers, formadores e operadores de robots e 165,000 trabalhavam em áreas relacionadas.

Para além da formação de novos profissionais, é fundamental dotar os atuais das competências para operar neste novo mundo da Indústria 4.0. E o EWF tem desenvolvido modelos de reconversão e requalificação, integrando também o reconhecimento de competências adquiridas e a modularidade nos sistemas de qualificação, mais adequado aos atuais modelos de aprendizagem e de trabalho. A qualidade do sistema criado é, aliás, reconhecida enquanto exemplo para o alinhamento com a European Qualifications Framework. Exemplo do sucesso atingido, a rede criada ao longo dos anos abrange neste momento 46 países que utilizam as qualificações e certificações EWF/IIW, num total de 44 Authorized National Bodies, 683 Authorised Training Bodies, e 55,000 empresas em todo o mundo, que também recorrem ao sistema. O EWF é ainda parceiro e líder em inúmeros projetos internacionais nesta área e consultado na definição das linhas estratégicas de orientação das diferentes instituições europeias nesta matéria. E este projeto tem sido desenvolvido para todos os países membros desde 1992, sendo um dos exemplos pioneiros na criação de centros de excelência e de competências globais a partir de Portugal.

Lisboa é ponto de encontro da Indústria Europeia nos 25 anos do EWF

Este ano, celebrando os 25 anos do EWF, terá lugar em Portugal um conjunto de conferências focado no futuro da indústria europeia e das qualificações necessárias para o concretizar. Durante toda esta semana, e para os debates sobre temas como a impressão 3D ou as fábricas do futuro, estarão presentes representantes da Comissão Europeia, das mais importantes empresas industriais europeias e das organizações de certificação e qualificação dos diferentes países membros do EWF.

Artigo desenvolvido por Prof. Luísa Coutinho, Directora Executiva do EWF

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Qualificar profissionais para os desafios da indústria 4.0

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião