Rússia canaliza 6,5 mil milhões de euros para resgatar o maior banco privado

  • Juliana Nogueira Santos
  • 7 Dezembro 2017

O Banco Central Russo decidiu, em agosto, nacionalizar aquele que era o maior banco privado. Sabe-se agora que este vai ser o maior resgate alguma vez levado a cabo no país.

Elvira Nabiullina, presidente do Banco Central Russo, irá liderar a operação de resgate ao maior banco privado russo.Andrey Rudakov/Bloomberg

Entre junho e julho deste ano, o Bank Otkritie assistiu a uma fuga de depósitos no valor equivalente a 10,4 mil milhões de dólares. O Banco Central Russo decidiu, em agosto, nacionalizar aquele que era o maior banco privado do país. Sabe-se agora que este vai ser o maior resgate alguma vez levado a cabo.

Em comunicado, o banco central russo afirmou que vai injetar 456,2 mil milhões de rublos, ou seja, 6,5 mil milhões de euros, no Bank Otkritie “para evitar a falência da empresa”. A intervenção incluirá a injeção de 189 mil milhões de rublos para cobrir os prejuízos registados até então, bem como uma injeção de capital adicional para cumprir rácios.

“O capital irá fazer com que o Otkritie vá ao encontro dos padrões adequados em termos de exigência de capital que entram em vigor no próximo ano”, apontou ainda o banco central.

A notícia de que a intervenção estatal estaria a ser preparada foi avançada uma semana antes de ter sido confirmada pelo banco central. Nessa altura, o fundador do banco, Vadim Beleyev, afirmou que não estavam em curso quaisquer negociações com o banco central. Este será o primeiro banco a ser resgatado desde que, em 2011, o Bank of Moscow necessitou de intervenção estatal. Ainda assim, este segundo ficou cerca de 60 mil milhões de rublos mais barato.

Segundo dados do Otkritie, o banco conta com 3,6 milhões de consumidores de retalho, 15.000 funcionários e 412 balcões espalhados por 54 regiões da Rússia.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Rússia canaliza 6,5 mil milhões de euros para resgatar o maior banco privado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião