Depois do deserto, Touareg está de volta. E é todo digital

É ainda maior que o antecessor. Esteticamente, está bem mais arrojado, mas o destaque vai quase todo para o interior. Marca a estreia do Innovision Cockpit da Volkswagen.

Depois de quase um milhão de unidades vendidas nas anteriores gerações, a Volkswagen apresentou, a partir da China, um dos seus principais mercados, o novo Touareg. É um modelo ainda maior que o antecessor que, esteticamente, está bem mais arrojado, mas em que o destaque vai quase todo para o interior. É que é todo digital.

Comparada com o antecessor, a terceira geração do Touareg é mais larga e mais comprida. “As novas dimensões refletem-se positivamente nas proporções do veículo, bem como no espaço interior”, diz a marca. As maiores dimensões são exponenciadas por uma grelha de grandes dimensões, que quase se funde com as óticas, tornando-o mais imponente ainda.

Visto de lado, percebe-se como o SUV da marca alemã cresceu. A superfície vidrada ganhou dimensão, apesar de a linha de cintura continuar elevada, recorrendo-se a detalhes estéticos, como as embaladeiras, para reforçar o caráter musculado do Touareg. Na traseira, há um portão de grandes dimensões com óticas mais estreitas. Passa um ar mais limpo, mais moderno.

Apesar de estar ainda maior, o Touareg emagreceu. “É 106 kg mais leve, devido à construção mista em alumínio (48%) e aços de elevada tecnologia (52%)”, refere a marca que além deste SUV conta na sua oferta com o Tiguan e o T-Roc, este último produzido em Palmela. Terá ainda o T-Cross, um SUV compacto, ficando para 2020 a estreia do I.D. CROZZ, o primeiro totalmente elétrico

Tecnologia a bordo

“O Touareg assinala um ponto de viragem em termos tecnológicos, evidenciando todo o potencial de que os engenheiros e os designers da marca são capazes”, diz a Volkswagen, afirmando que quer que este SUV seja o “novo porta-estandarte” da marca e que ocupe “uma posição de destaque no segmento SUV da classe premium“. Para isso, além da estética, é grande a aposta tecnológica.

O Touareg estreia o totalmente digitalizado Innovision Cockpit. “Aqui, os instrumentos digitais (Digital Cockpit com ecrã de 12 polegadas) e o sistema de infotainment Discover Premium (com ecrã de 15 polegadas) fundem-se para formar uma unidade digital de funcionamento, informação, comunicação e entretenimento, que quase não precisa de botões ou comandos convencionais”.

Motores? Só a diesel (por agora)

O novo SUV vai ser disponibilizado, na Europa, numa fase inicial, com dois motores diesel V6, com potências que vão dos 232 cv aos 287 cv. Em Portugal, onde o Touareg chegará em maio, só haverá uma das versões, por agora. A marca disponibilizará primeiro o mais potente, sendo que “o V6 TDI de 232 cv chegará no final de 2018”.

“Em vários mercados, a gama será alargada à oferta de um motor a gasolina V6 com 340 cv e um bloco turbodiesel V8 com 421 cv”, refere a fabricante, salientando que haverá outras soluções, mas não para todos. “Uma nova unidade híbrida plug-in – com uma potência total de sistema de 367 cv – será introduzida na China, não estando ainda definida a sua data de lançamento na Europa”, remata.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Depois do deserto, Touareg está de volta. E é todo digital

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião