Como a reabilitação deu uma nova vida à cidade do Porto

  • ECO + JLL
  • 7 Junho 2018

Quem vem e atravessa o rio já quase não reconhece a cidade do Porto. A beleza e o encanto originais estão lá, mas a degradação e as ruínas já não. O que faz da Invicta o local perfeito para morar.

Há uma nova cidade a nascer após as obras de reabilitação urbana que, nos últimos anos, têm vindo a ser levadas a cabo no Porto. O movimento de reconstrução, a par de um turismo vibrante e catalisador da mudança, transformaram o Porto. E hoje este é um local que cada vez mais gente escolhe para viver e visitar.

A recuperação da cidade é bem evidente e não apenas por causa dos guindastes que se encontram um pouco por todo o lado. São muitas as fachadas do Centro Histórico que se apresentam agora de cara lavada, acompanhando a par e passo o clima de revitalização e dinamismo que se vive em toda a cidade. De acordo com dados da Porto Vivo – Sociedade de Reabilitação Urbana da Baixa Portuense, só em 2016 foram apresentados mais de 1300 requerimentos para reabilitação, tendo sido postos em marcha 308 processos, mais 153 do que no ano anterior. Também o estado de conservação dos edifícios daquele que foi considerado pela Unesco, em 1996, Centro Histórico Património Mundial da Humanidade, tem vindo a melhorar. Em 2016, 74% das parcelas apresentavam um estado de conservação considerado bom ou médio. Quanto aos prédios em mau estado, estes desceram para 13%, sendo de esperar que venham a diminuir ainda mais, face aos projetos de reabilitação que decorrem atualmente.

Um dos fatores que muito tem contribuído para este ressurgimento da Invicta é o turismo que, a par do que acontece em Lisboa, também aqui tem registado um crescimento exponencial. O Porto integra guias e roteiros de todo o mundo e em 2017 voltou a ser eleito o melhor destino da Europa, com os votos de viajantes de 174 países, depois de já o ter sido em 2012 e 2014.

Hotelaria e habitação – três exemplos da mudança

Mas se é verdade que alguns dos edifícios renovados se destinam à atividade hoteleira, tal não constitui a maioria. O Porto apresenta hoje a imagem de uma cidade em reabilitação acelerada em todas as dimensões, privilegiando também a habitação, depois de anos de estagnação nesta área. Estes são alguns dos exemplos mais emblemáticos da transformação de sucesso da Invicta:

Aliados 107

O antigo edifício do jornal “O Comércio do Porto”, situado na Avenida dos Aliados, bem no Centro Histórico, começou a ser recuperado em 2016 com vista a ser comercializado como habitação de luxo. Originalmente da autoria do arquiteto Rogério de Azevedo, o icónico edifício foi construído em 1930 e é um dos primeiros exemplos da arquitetura modernista em Portugal. As obras deverão estar terminadas em breve, mas as 23 habitações existentes já foram todas vendidas, sobretudo a compradores portugueses.

Infante

Localizado na zona ribeirinha do Porto, bem perto dos locais mais trendy da cidade, também o edifício residencial Infante resulta de um projeto de reabilitação. As características originais da fachada principal, que remetem para uma construção do século XVIII, foram mantidas, assegurado a continuidade estética do Centro Histórico. O edifício é composto por 16 apartamentos, com tipologias que variam entre T0 e T3 Duplex (áreas de 36 a 133 m2) e com uma magnífica vista de rio.

A Brasileira

O emblemático café portuense, datado de 1903, foi também recentemente reabilitado, permitindo a sua devolução à cidade sem alteração da traça original da fachada e das salas do rés-do-chão. Localizado na rua Sá da Bandeira, o café continua de portas abertas, mas agora renovado e com um elemento extra: um hotel de cinco estrelas com 90 quartos e seis pisos, bem como um restaurante de autor.

JLL reforça aposta no Porto

Consciente do franco crescimento que o Porto regista no setor imobiliário, a consultora JLL reforçou recentemente a sua aposta nesta cidade, inaugurando uma loja para a área residencial na zona da Baixa, na travessa da Bainharia, junto à rua das Flores. O novo espaço visa dar resposta ao potencial de crescimento do imobiliário na cidade, nomeadamente na área residencial e de turismo. A operar na Invicta desde 2002, cabe à JLL a comercialização de projetos como o Infante, Ouro Residence, Primrose City Living, Bessa Residence, Boavista Prime, Marechal 1000 ou Flores Plaza.

Saiba mais sobre estes e outros projetos da JLL na zona norte, no Salão Imobiliário do Porto onde a consultora estará presente com um stand, entre os dias 07 e 10 de junho.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Como a reabilitação deu uma nova vida à cidade do Porto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião