Banca nunca pagou tão pouco nos depósitos. Taxa é de 0,16%

A taxa de juro média das novas aplicações em depósitos a prazo situou-se em junho nos 0,16%. Trata-se da remuneração mais baixa de um histórico de mais de 18 anos.

Parece não haver um travão para a queda da remuneração dos depósitos. O mês de junho foi marcado por uma nova descida dos juros dos depósitos a prazo, com a taxa média a fixar-se num novo mínimo histórico de 0,16%, indica o Banco Central Europeu (BCE).

Segundo os dados da entidade liderada por Mario Draghi, divulgados esta quarta-feira, a taxa de juro oferecida nas novas aplicações a prazo realizadas em junho fixou-se nos 0,16%. Este valor fica aquém dos 0,17% verificados em maio, e assinala um novo mínimo de sempre, tendo em conta um histórico cujo início remonta a janeiro de 2000.

A remuneração dos depósitos a prazo continua assim a ser condicionada pelos níveis historicamente baixos das Euribor que, apesar de sinalizarem já uma inversão de rumo, se mantêm em valores negativos. Mas também condicionada pelo desinteresse dos bancos em captarem recursos. A sua prioridade passa sim por maximizar os seus proveitos pela via da subida das comissões, ao mesmo tempo que apostam em força na concessão de crédito.

Evolução dos juros dos depósitos

Fonte: BCE

O atual nível de remuneração oferecido pelos bancos portugueses continua assim a manter-se bastante aquém face à média europeia. Os dados do BCE mostram que, em maio, a taxa de juro média dos depósitos a prazo se situou na Zona Euro nos 0,36%. Ou seja, mais do dobro daquilo que é pago pelos bancos nacionais, em média.

A quebra dos juros disponibilizados pelos bancos nas novas aplicações foi transversal a quase todas as diferentes maturidades dos depósitos. Nos depósitos até um ano, a taxa de juro média recuou dos 0,16% que vigoraram em maio, para os 0,15%, em junho. Por sua vez, nas maturidades entre um e dois anos, a redução foi de 0,27% para 0,24%, no mesmo período.

Apenas nos prazos mais alargados se verificou um aumento da remuneração. Se em maio, os depósitos a mais de dois anos a taxa de juro média se situou nos 0,18%, em junho subiu para os 0,20%.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Banca nunca pagou tão pouco nos depósitos. Taxa é de 0,16%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião