TAP espera que constrangimentos em Lisboa sejam ultrapassados em 2019

  • Lusa
  • 27 Novembro 2018

O ‘chairman’ da TAP, Miguel Frasquilho, disse esperar que os constrangimentos no aeroporto de Lisboa sejam ultrapassados “ao longo do próximo ano”.

O ‘chairman’ da TAP, Miguel Frasquilho, disse esta segunda-feira esperar que os constrangimentos no aeroporto de Lisboa sejam ultrapassados “ao longo do próximo ano”.

O responsável, que falou em Toulouse, França, durante a entrega à TAP do primeiro A330neo, nas instalações da Airbus, afirmou que a companhia aérea tem esperança que “esses constrangimentos possam ser resolvidos a breve trecho”.

A TAP queixa-se, frequentemente, de que a situação do aeroporto de Lisboa é um entrave ao seu crescimento.

“Não falo só da extensão para o Montijo, mas dos problemas que já hoje temos no aeroporto Humberto Delgado. Falo de várias questões operacionais”, salientou, garantindo que decorrem várias negociações com os agentes envolvidos no processo, como a Câmara de Lisboa, ANA – Aeroportos de Portugal, Força Aérea e Governo para resolver a questão dos constrangimentos operacionais em Lisboa.

A companhia aérea levou a cabo um estudo para perceber quais são os maiores problemas no aeroporto de Lisboa, cujas conclusões irá apresentar em breve. A TAP tem atualmente cerca de 90 aviões, referiu o presidente executivo da transportadora, Antonoaldo Neves, que voltou a garantir que a pontualidade dos voos está a melhorar.

“Hoje a pontualidade inteira da TAP estava a 91,7%”, assegurou.

O A330neo vai implicar ainda poupanças entre 15% e 20% para a companhia aérea. A companhia aérea é a primeira do mundo a receber o A330neo, da Airbus, em regime de ‘leasing’ operacional, através da sociedade Avolon. Ao Airbus A330neo juntam-se mais 36 novas aeronaves até ao final do próximo ano, quando a companhia espera abrir 14 novos destinos.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

TAP espera que constrangimentos em Lisboa sejam ultrapassados em 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião