Cacilheiros vão acabar. Tejo vai ter novos barcos

  • ECO
  • 15 Fevereiro 2019

O Governo vai comprar dez catamarãs, movidos a gás natural, num investimento de 88 milhões de euros. As novas embarcações vão circular ao dobro da velocidade dos cacilheiros.

Atravessar o rio Tejo de barco vai ser mais rápido. O Governo vai comprar dez novos catamarãs através de um concurso internacional, lançado nesta sexta-feira, para substituir os cacilheiros. Cada barco custa em média quase nove milhões de euros, num investimento total de 88 milhões de euros.

Aquela que é a maior compra das duas últimas décadas de barcos para ligar as duas margens do Tejo vai fazer as rotas de Lisboa para Cacilhas, Seixal e Montijo, adianta a TSF (acesso livre). A primeira embarcação chega em 2020, à qual se seguem mais quatro em 2021, e a partir daí duas por ano até 2024.

Movidos a gás natural, os catamarãs são mais rápidos e eficientes do que os cacilheiros que atualmente percorrem as águas, e serão os primeiros do género a operar no Tejo, onde apenas circulavam barcos a gasóleo ou fuelóleo. As novas embarcações alcançam mais do dobro da velocidade dos cacilheiros.

As embarcações antigas vão deixar de fazer o transporte regular de passageiros, mas podem ter novos usos, não desaparecendo totalmente de circulação. O objetivo da aquisição de mais barcos é garantir a qualidade do serviço, marcado por constrangimentos e avarias na Soflusa e na Transtejo, explica o ministro do Ambiente e da Transição Energética à rádio.

Comentários ({{ total }})

Cacilheiros vão acabar. Tejo vai ter novos barcos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião