Marisa Matias quer “zero investimento público” para combustíveis fósseis

  • Lusa
  • 13 Maio 2019

Nos Açores, onde esteve em campanha eleitoral, a bloquista pediu também "total prioridade" dos agentes políticos "às energias renováveis" e ao "investimento que combata as alterações climáticas".

A cabeça de lista do Bloco de Esquerda (BE) às europeias deste mês, Marisa Matias, dedicou o dia a questões da energia, propondo, entre outras medidas, “zero investimento público” para combustíveis fósseis. Nos Açores, onde esteve no domingo em campanha eleitoral, a bloquista pediu também “total prioridade” dos agentes políticos “às energias renováveis” e ao “investimento que realmente combata as alterações climáticas”.

Comparticipações nacionais que combatam as alterações climáticas, defendeu ainda, devem ser “isentadas do cálculo do défice”. “Enquanto isso não acontecer, não teremos o investimento público suficiente nestas medidas e não poderemos criar todos os empregos que são necessários criar”, declarou, falando perante dezenas de bloquistas, num almoço-comício na Lagoa, na ilha de São Miguel.

E concretizou: “Se trabalharmos para a independência e autonomia energética, não haverá gente que não possa pagar a sua fatura de eletricidade“. A candidata pelos Açores do Bloco, Alexandra Manes, também interveio no almoço-comício e advogou ser necessário o voto no BE para que sejam “afrontados os grandes interesses” em Bruxelas.

“Votar no PS, PSD e CDS é eleger quem permitiu o fim das quotas leiteiras e a abertura do mar dos Açores às frotas internacionais”, sinalizou a candidata, lembrando ainda as dificuldades por que passam hoje a pesca e a agricultura na região.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Marisa Matias quer “zero investimento público” para combustíveis fósseis

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião