BRANDS' ECO Porto será o epicentro do debate sobre o futuro do trabalho

  • BRANDS' ECO
  • 6 Setembro 2019

O futuro do trabalho chegou. Estamos preparados?

Porto será o epicentro do debate sobre o futuro do trabalho nos dias 19 e 20 de setembro na Alfândega.

O trabalho no âmbito de empreendedorismo tecnológico e startups, os impactos da robótica, inteligência artificial e novas tecnologias, as novas formas de trabalho e propriedade intelectual, as relações industriais e impactos no meio ambiente, os impactos do envelhecimento da população e doenças oncológicas no trabalho, as novas tendências para a negociação coletiva transnacional e o futuro do direito do trabalho na UE. São estes alguns dos factos que estarão em cima da mesa do debate nos próximos dias 19 e 20 de setembro, na Alfândega do Porto, no congresso mundial do trabalho.

Afinal, o futuro do trabalho chegou. Estamos preparados? A segunda edição do Labour 2030 vai trazer para a ordem do dia os temas que se tornaram incontornáveis no âmbito das alterações ocorridas no direito laboral na era do empreendedorismo, da robótica e da inteligência artificial. Mais de 150 oradores, oriundos de mais de 30 países, e cerca de 500 participantes, vão trocar experiências no Labour 2030 – Work Innovation, Are You Ready? The Future Digital. And it’s On!

O programa já está lançado e a partir das 09h00 do dia 19, até às 19h00, do dia 20, vão passar pela Alfandega do Porto as maiores referências nacionais e internacionais ligadas à temática do trabalho. Com a chancela da Law Academy, o evento conta ainda com parceria institucional da OIT – Organização Mundial do Trabalho, da Cielo Laboral – Comunidad para la Investigación y el Estudio Laboral y Ocupacional, da World Employment Confederation, da ETUI – European Trade Union Institute, da ACT – Autoridade para as Condições de Trabalho e do Eurofound. Esta segunda edição do Labour2030 tem ainda o apoio da Microsoft, da Moneris e da HONNUS, bem como da Comissão Nacional de Protecção de Dados, AEP – Associação Empresarial de Portugal, LIACC / FEUP – Laboratório de Inteligência Artificial e Ciência de Computadores da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e FIND, algumas das referências de destaque neste congresso.

De vários pontos do mundo chegam os nomes de Catherine Barnard (Universidade Cambrige), Pascal Lokiec (Universidade de Paris Panthéon-Sorbonne), Guy Davidov (Universidade Hebraica de Jerusalém), Matthew Finkin (Universidade de Ilinois, EUA), Lourdes Mella Méndez (Universidade de Santiago de Compostela), Philippe Pochet (European Trade Union Institute), Rüdiger Krause (Universidade de Gottingen), Frank Hendrickx (Universidade Católica de Leuven, Bélgica) e Denis Pennel (World Employment Confederation). De Portugal, os principais temas vão ser orientados por José João Abrantes (Universidade Nova de Lisboa), Catarina Carvalho (Universidade Católica Portuguesa), Maria Rosário Palma Ramalho (Universidade de Lisboa), Teresa Coelho Moreira (Universidade do Minho) e Maria Regina Redinha (Universidade do Porto).

As entidades organizadoras, a Law Academy, em parceria com a Cerejeira Namora, Marinho Falcão, a Associação de Jovens Juslaboralistas e a Cielo Laboral – Comunidad para la Investigación y el Estudio Laboral y Ocupacional, pretendem contribuir para a discussão sobre o futuro do trabalho na procura das soluções para os problemas e potencialidades colocados pela nova Era. Todas as informações sobre o evento e tickets estão disponíveis em www.labour2030.eu .

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Porto será o epicentro do debate sobre o futuro do trabalho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião