Fotogaleria: as cores e as formas dos stands portugueses no Web Summit

Ecrãs interativos, contentores coloridos, jardins verticais, bicicletas e até fotografias num unicórnio. O ECO foi ver como se faz a promoção nos stands portugueses no Web Summit.

Chamar a atenção dos mais de 70.400 participantes do Web Summit pode parecer tarefa difícil entre as várias dezenas de stands espalhados pelos quatro pavilhões da FIL. Entre puzzles de contentores, ecrãs interativos, jardins verticais e até plataformas elevatórias, as empresas e instituições portuguesas levam bem a sério a promoção dos seus conteúdos e atividades.

No stand da EDP, com um espaço aberto e minimal, o branco é a cor dominante. Ali é possível tirar uma fotografia “montado” num unicórnio e subir a um ringue onde, num minuto e mediante inscrição prévia, pode apresentar a sua ideia de negócio a um representante da elétrica portuguesa. Por perto, também está o stand da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa que aposta na promoção da Casa do Impacto e o stand da Moey!, onde a Crédito Agrícola faz a promoção e ativação da nova app de pagamentos bancários digitais.

Stand da CML no Web Summit 2019 - 06NOV19

No pavilhão quatro da FIL, os contentores coloridos e “Lisboa” escrita no topo com letras de dimensões consideráveis chamam a atenção para o stand da Câmara Municipal de Lisboa. Aqui é possível dar umas pedaladas numa das duas bicicletas disponíveis. “My energy moves Lisboa” nunca fez tanto sentido.

A Brisa e a Startup Portugal encontram-se lado a lado no pavilhão três. A cor verde domina o espaço da Brisa simulando uma espécie de jardim no meio da estrutura. Já os contentores da Startup Portugal dão um look mais industrial mas recheado de tecnologia com ecrãs interativos e um painel LED de enormes dimensões para as apresentações que ali ocorrem diariamente durante o Web Summit.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fotogaleria: as cores e as formas dos stands portugueses no Web Summit

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião