BRANDS' ECO 10 cidades, 10 arenas

  • BRANDS' ECO
  • 12 Novembro 2019

As arenas são hoje um símbolo das cidades, do seu dinamismo cultural e económico. No porto inaugurou o mais recente e moderno destes espaços: a Super Bock Arena, Pavilhão Rosa Mota

As arenas têm-se vindo a constituir como o spot privilegiado para diversos tipos de eventos que vão desde a música até ações corporativas de marcas e empresas. O mais recente destes espaços – a Super Bock Arena – inaugurou na semana passada no Porto.

Uma das grandes novidades do projeto é a criação de um Centro de Congressos, composto por um auditório com capacidade para 532 lugares, uma zona de exposição e quatro salas destinadas a eventos empresariais. Há que destacar, também, o excelente food court que vai estar aberto ao publico durante todo o dia (das 9h às 19h), 365 dias por ano. Com cerca de 400 metros quadrados que inclui 6 bares e espaços de restauração abertos ao público independentemente da agenda dos espetáculos, o food court terá uma esplanada e um restaurante com vista para o lago e para os Jardins do Palácio de Cristal.

As bancadas retráteis são uma das inovações do Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota, uma vez que permitem adaptar o espaço não só ao conceito do evento, como também ao número de pessoas previsto.

O projeto do Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota foi concebido salvaguardando práticas sustentáveis, com o objetivo de deixar uma pegada verde na cidade e no país. Para tal, foram adotadas medidas que prometem garantir uma maior eficácia energética e otimização dos recursos utilizados. Uma delas consiste na refrigeração natural das máquinas de controlo de temperatura recorrendo à utilização da água do lago dos Jardins do Palácio de Cristal, o que permite reduzir os consumos energéticos e gastos de água em cerca de 40 por cento.

Uma das preocupações na conceção do novo Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota foi assegurar a acústica do espaço, indispensável para receber todo o tipo de eventos. Ao longo de toda a estrutura da cúpula foi colocada uma multicamada com mais de 40 centímetros de lã de rocha, assim como uma tela acústica que cobre os gomos da cúpula (espaços entre pilares). Esta tela foi devidamente recortada e adaptada a cada óculo de forma a evitar qualquer impacto visual. Os 768 óculos que fazem parte da cúpula do edifício – uma das imagens de marca – mantêm-se, com o objetivo de preservar a identidade arquitetónica exterior.

Até à data, o espaço já conta com a confirmação de vários eventos, dos quais se destacam nomes como o projeto “Amar Amália” (16 de novembro), “Lisbon Film Orchestra” (8 de dezembro), Rui Veloso (14 de dezembro) ou “Carmina Burana” (28 de dezembro).

Comentários ({{ total }})

10 cidades, 10 arenas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião