BRANDS' ECO Carteira virtual: a sua melhor aliada para investir em 2020

  • BRANDS' ECO
  • 14 Janeiro 2020

Com o ano novo vêm novos investimentos. Descubra a ferramenta que o vai ajudar a investir melhor em 2020 – a carteira virtual – e as suas vantagens.

O futuro não está escrito e os percalços surgem de onde menos se espera. Confiar unicamente em fontes de rendimento como o salário, a pensão de reforma ou dinheiro de familiares pode ser um plano a longo prazo demasiado arriscado, sobretudo num contexto económico caraterizado pela volatilidade.

Logo, é melhor prevenir do que remediar, e o investimento em ativos é uma solução que lhe pode trazer outra segurança no futuro. Aproveite o ano novo para rentabilizar o seu capital e beneficie das novas soluções digitais, como A Minha Carteira, da PROTESTE INVESTE, para o acompanhar nesta jornada.

Como começar a investir em 2020

Comece por descobrir o seu perfil de risco. Sabe-se que cada tipologia de investidor necessita de uma estratégia adequada às suas caraterísticas e objetivos. Conhecer o seu perfil de investidor é fundamental para fazer as melhores escolhas.

O site da PROTESTE INVESTE sugere-lhe estratégias de investimento consoante o seu perfil, bastando alguns minutos para fazer um teste e perceber qual o seu: se conservador (segurança acima de tudo), se defensivo (aceita algum risco, mas baixo), equilibrado (disposto a investimentos de longo prazo, mas com alguma cautela), agressivo (disponível para assumir um nível de risco acima da média) e “ações” (pretende investir diretamente em ações; risco elevado mas com potenciais ganhos elevados).

Depois de apurar o seu perfil de investidor, e também o prazo pretendido, é tempo de definir a sua estratégia. Algumas regras são transversais nessa definição. Uma das mais relevantes é sem dúvida o fator tempo: quanto maior o prazo definido para obter retorno, maior as probabilidades desse retorno ser mais significativo. Se, por outro lado, exigir dividendos a curto prazo, terá preferencialmente de ter maior capital inicial e de arriscar mais.

Outra regra de ouro do investimento é a diversificação. Não se limite a apenas um tipo de ativos; diversifique a carteira de investimentos com diferentes ativos, como ações, fundos de investimento ou certificados do Tesouro e de Aforro.

Apesar de alguma imprevisibilidade dos mercados, as ações tendem a ser os ativos financeiros que mais rendem a longo prazo. Se apostar neste produto lembre-se, uma vez mais, que diversificar é primordial. Aposte em títulos de várias indústrias e latitudes; não se limite às empresas nacionais que já conhece e não se concentre numa só área de negócio.

Se tenciona investir em ações em 2020 e não sabe como começar, a PROTESTE INVESTE criou parcerias (disponíveis para subscritores), que lhe permitem replicar facilmente e com exatidão uma carteira de ações definida por especialistas. Ao aderir a estas parcerias estará a investir diretamente na carteira de ações da PROTESTE INVESTE, não tendo de se preocupar com os títulos que deve comprar e vender ou com a realização das ordens de bolsa.

Mas gerir todos estes ativos pode ser complexo e moroso. É aqui que entra a carteira virtual de investimentos, uma ferramenta que lhe permite gerir a sua carteira de ativos com maior simplicidade e comodidade.

Vantagens de usar uma carteira virtual de investimentos

Agora que 2020 se aproxima, nunca é de mais lembrar que tão importante como poupar é fazer uma gestão responsável das suas finanças. Para isso, uma carteira virtual de investimentos, como A Minha Carteira, da PROTESTE INVESTE, é essencial.

Com esta solução poderá pesquisar ações, fundos, obrigações e outro tipo de investimentos de forma fácil; registar e consultar a rentabilidade dos seus investimentos em tempo real; obter um inventário dos seus bens; replicar carteiras recomendadas de PROTESTE INVESTE, simular uma carteira de investimentos e começar a investir de acordo com uma estratégia definida por analistas financeiros independentes.

Entre em 2020 com mais confiança e invista com a ajuda de especialistas e da carteira virtual de investimentos da PROTESTE INVESTE.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Carteira virtual: a sua melhor aliada para investir em 2020

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião