BRANDS' ECO Economia digital e a competitividade do futuro

  • BRANDS' ECO
  • 17 Janeiro 2020

Um dos grandes desafios da transformação digital para as empresas é o investimento inicial. Que soluções existem?

A transformação digital está aí, já não é o futuro, mas sim o presente. Para todas as empresas que se queiram manter competitivas nos próximos anos é uma realidade incontornável. Ser digital é o desafio de sobrevivência que se impõe às empresas que querem aumentar a sua produtividade, ser mais sustentáveis, ter recursos humanos motivados e assim gerar mais valor e aumentar a competitividade.

A transformação digital não é uma moda, é um novo paradigma que se iniciou nos anos 90 e está cada vez mais implementado. É uma nova realidade à qual as empresas necessitam de ganhar consciência e introduzir as adaptações necessárias ao seu negócio.

Vivemos atualmente numa era de hiperconectividade, onde técnicas de produção, estratégias de negociação e relações com os clientes e fornecedores mudam a um ritmo quase vertiginoso, colocando todos os dias às empresas novos desafios, mas também novas oportunidades.

Atualmente em Portugal existem mais de 8 milhões de utilizadores de Internet sendo que 85% navegam diariamente, por isso não é surpresa quando vemos que uma grande parte do processo de compra do consumidor é feito em ambiente digital.

A tecnologia digital é assim o motor que as empresas, independentemente da sua dimensão, não podem ignorar. Estas novas tendências da economia irão determinar o futuro dos negócios das empresas, no entanto, apenas 25% das empresas portuguesas possuem um elevado nível de maturidade digital.

De acordo com o “Report Integration of Digital Technology 2018”, elaborado pela Comissão Europeia e a KPMG, as restantes 75% das empresas apresentam um nível de maturidade baixo ou muito baixo, ou seja, encontram-se muito pouco sensibilizadas para o tema da digitalização e possuem pouca ou nenhuma experiência, recursos e competências para desenvolvimento e implementação.

Assente principalmente em conceitos como social media, mobilidade, Internet of Things, cibersegurança, Big Data e Cloud Services, a transformação digital traz diversos benefícios às empresas tais como a otimização dos processos, ou seja, utilização de tecnologias que facilitam e automatizam tarefas, permitindo o aumento da produtividade e a redução de custos. Utilizando as soluções tecnológicas adequadas, permite reduzir custos através da redução de erros e eliminação de desperdícios nas várias fases da produção, tornando o processo produtivo muito mais eficiente.

O investimento em tecnologia e em novas soluções traz eficiência, aumentando assim o retorno para o negócio, permitindo também uma posição mais competitiva no mercado perante a concorrência. Isto porque a transformação digital permite que as empresas utilizem a tecnologia como ponto central da sua estratégia, conseguindo melhorar os processos, criar produtos mais eficientes e entregar mais valor e consequentemente mais satisfação dos clientes, tornando assim a empresa mais competitiva.

No entanto, um dos grandes desafios da transformação digital para as empresas é o investimento inicial. Implementar uma estratégia de transformação digital numa organização implica na maioria das vezes custos avultados em equipamentos, soluções tecnológicas, programas e sistemas inovadores, consultadoria e formação das equipas de trabalho. Isso implica que as empresas recorram a empréstimos bancários para poder suportar o investimento inicial e conseguir ter o retorno esperado.

Com o intuito de apoiar as empresas, em particular as PME, no investimento para a transformação digital, foram criadas linhas de crédito com garantia mútua, que apresentam condições de custo e prazo mais vantajosas para as empresas.

As linhas como a Apoio ao Desenvolvimento de Negócio – ADN 2018, Capitalizar 2018 e Capitalizar Mais encontram-se protocoladas com praticamente todas as instituições de crédito a operar em Portugal, onde a Garantia Mútua tem um papel preponderante na partilha de risco, além do aconselhamento na solução de financiamento mais adequada às necessidades das empresas de acordo com os seus projetos de transformação digital, indústria 4.0 ou digitalização.

Comentários ({{ total }})

Economia digital e a competitividade do futuro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião