BRANDS' ECO 6 restaurantes para fazer almoços de negócios na Europa

  • BRANDS' ECO
  • 11 Março 2020

Primam por uma gastronomia de referência, ambientes inesquecíveis e que deixam fluir a conversa. Se é para fechar um negócio, que seja num destes restaurantes.

Todos sabemos que a maior parte dos negócios se fecha longe de uma sala de reuniões. Precisamos que o espaço contribua para uma conversa frutífera e que se faça acompanhar de “boas” distrações.

Nesta lista, reunimos seis restaurantes para ter à mão quando precisar de marcar o próximo almoço de negócios, seja em Lisboa, Paris, Madrid, Berlim, Amesterdão ou Milão.

1. Mon Square, Paris

Se é para impressionar antes mesmo de o almoço começar, o Mon Square é o local certo em Paris. Este novo espaço faz brilhar qualquer feed de Instagram, e admirar a impressionante decoração da sala é um ótimo quebra-gelo no início de um almoço de trabalho.

No menu, à la carte, encontra opções vegan, massas, peixe e carne e clássicos como risotto, tártaro e filet. No final, todas as atenções estarão nos profiteroles com caramelo salgado para fechar o negócio!

31 Rue Saint Dominique, Paris

Praia no Parque, Lisboa

Camaleónico, o Praia no Parque está pronto para receber quem desejar ter uma experiência gastronómica premium, seja a que horas for: num (demorado) almoço de trabalho, numa reunião ao final do dia ou num jantar tardio de amigos. Conta, por isso, com cozinha aberta sem pausas das 12h às 24h, um menu executivo com três opções (só ao almoço e em dias úteis) e um ambiente que rapidamente se transforma num local para beber um copo e dançar à noite. Food, drinks and fun é o mote. A novidade deste ano é um menu exclusivo da zona da barra, onde é possível desfrutar de uma experiência de sushi personalizada.

A gastronomia, a localização privilegiada – o Parque Eduardo VII, o lago cristalino que se avista das grandes janelas – e a decoração, que junta história, contemporaneidade e taxidermia, em alusão à fauna que existia no parque, eleva este espaço único ao patamar dos restaurantes mais trendy da capital.

Alameda Cardeal Cerejeira, Lisboa
Reservas: 968 842 888 ou e-mail

Amazónico, Madrid

Localizado no bairro de Salamanca da capital espanhola, o Amazónico é um restaurante que nos faz viajar até à exuberância da selva amazónica. É ideal para um almoço de negócios ambicioso, em que se pretende mostrar alguma ousadia.

A proposta gastronómica é tropical e mistura cozinha asiática (com uma barra japonesa) e mediterrânea, e também com referências do Brasil, país de origem do chef Sandro Silva.

Calle Jorge Juan, 20, Madrid

Pauly Saal, Berlim

Cozinha contemporânea alemã e austríaca, pé direito altíssimo, elementos decorativos inspirados nos anos 20 e um enorme e genuíno rocket vermelho. É assim Pauly Saal, um restaurante que ocupa o espaço de uma antiga escola judaica e que já chamou a atenção de celebridades como Brad Pitt ou Naomi Campbell.

Se o almoço de trabalho decorrer no verão, não se esqueça de pedir uma mesa no pátio para refrescar a proposta que estiver em cima da mesa.

Auguststraße 11 – 13, Berlim

De Kas, Amesterdão

Por aqui, todos os vegetais que vai ver no seu prato provêm da própria horta do De Kas. O famoso conceito “da horta para o prato” faz parte da identidade deste restaurante holandês cheio de frescura.

Localizado num conjunto de estufas que remontam a 1926, a visita ao De Kas proporciona uma experiência que não deixará ninguém indiferente. No seu almoço de executivos, nem precisa de abrir a carta. O restaurante conta com um menu semanal fixo, só precisa de escolher a quantidade de pratos (três ou quatro, ao almoço, cinco ou seis, ao jantar).

Kamerlingh Onneslaan 3, 1097, Amesterdão

Torre, Milão

Qualquer reunião de negócios beneficiará se estiver rodeada de arte e cultura, não concorda? O restaurante Torre fica no sexto andar da Fondazione Prada, um espaço arquitetónico incontornável em Milão e altamente inspirador.

As grandes janelas permitem uma vista impressionante da cidade e o menu está construído para oferecer uma experiência genuinamente italiana.

Via Lorenzini, 14, Milão

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

6 restaurantes para fazer almoços de negócios na Europa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião